Aeroporto de Vitória da Conquista gera demanda de empresários para investimentos na região

Fachada e instalações do Aeroporto de Vitória da Conquista (Aeroporto Glauber Rocha).
Fachada e instalações do Aeroporto de Vitória da Conquista (Aeroporto Glauber Rocha).
Fachada e instalações do Aeroporto de Vitória da Conquista (Aeroporto Glauber Rocha).
Fachada e instalações do Aeroporto de Vitória da Conquista (Aeroporto Glauber Rocha).

O novo aeroporto de Vitória da Conquista, que será inaugurado pelo governador Rui Costa na próxima terça-feira (23/07/2019), é uma demanda dos empresários para que novos empreendimentos de médio e grande porte sejam implantados na região. A informação é do superintendente de Atração de Investimentos e Fomento ao Desenvolvimento Econômico, Paulo Guimarães. “Tem empresários que chegaram aqui e colocaram isso como pré-requisito para implantação de uma fábrica, que ela estivesse no máximo a uma hora de um aeroporto, porque os dirigentes precisam se movimentar”.

Guimarães afirma que todo investimento em infraestrutura é importante e ajuda no desenvolvimento da região de Vitória da Conquista. “Conquista, em particular, a terceira maior cidade do estado, tem recebido uma série de investimentos ao longo dos últimos anos. A própria Desenbahia indica que muitos empreendedores da região têm solicitado financiamento para indústrias de pequeno e médio porte. Aquela é a nossa maior cidade próxima de Minas Gerais, do Rio de Janeiro, portanto, é uma cidade com uma perspectiva de interação interestadual muito grande”.

O superintendente afirma que foi essa necessidade de aumentar o número de linhas aéreas e o fluxo de passageiros no interior da Bahia que motivou o Governo do Estado, há cerca de três semanas, a reduzir o ICMS para a área aeroviária. “Com isso, o governador anunciou 161 novos voos aqui para a Bahia, alguns deles para Vitória da Conquista, que é uma das cidades pólo mais importantes do estado”.

Vocação logística

Guimarães garante que o aeroporto de Vitória da Conquista tem vocação logística. “Uma das coisas que se precisa desenvolver é o aeroporto como um modal logístico para determinados tipos de produtos. Há muitos produtos que é mais interessante de serem encaminhados para seus consumidores por via aérea, como produtos perecíveis, medicamentos, flores e outras coisas que precisam ser transportadas com muita rapidez. O transporte rodoviário desses produtos fica muito caro. A via aérea, às vezes, é mais fácil e barata a depender da distância e da frequência de voos. Por isso a frequência de voos é tão importante”.

Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9397 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).