Rombo fiscal e falta de investimentos refletem queda do PIB no 1º trimestre de 2018; Governo Bolsonaro acentua crise socioeconômica com política de desinvestimento

Jair Bolsonaro (PSL-RJ), presidente da República, revela desinteligência e inapetência para governar.
Jair Bolsonaro (PSL-RJ), presidente da República, revela desinteligência e inapetência para governar.
Jair Bolsonaro (PSL-RJ), presidente da República, revela desinteligência e inapetência para governar.
Jair Bolsonaro (PSL-RJ), presidente da República, revela desinteligência e inapetência para governar.

A economia brasileira apresentou um resultado negativo no primeiro trimestre de 2019. Pelo menos é o que aponta o resultado do Produto Interno Bruto (PIB), divulgado pelo IBGE nesta quinta-feira (30/05/2019). Segundo o levantamento, o resultado é 0,2% menor ao quarto trimestre de 2018.

De acordo com a publicação, o PIB de 2019 até agora somou mais de 1 trilhão e 700 bilhões de reais. Desse total, mais 1 trilhão e 400 bilhões de reais são referentes ao Valor Adicionados a preços básicos. Outros 251 bilhões e 500 milhões de reais são referentes aos Impostos sobre Produtos líquidos de subsídios.

O economista Newton Marques acredita que há uma possibilidade de recessão, já que há falta de confiança dos empresários com relação às políticas econômicas.

Marques afirma, no entanto, que isso não é exclusividade do governo de Jair Bolsonaro, mas que vem se arrastando desde a gestão de Dilma Roussef.

“Então o que falta? Primeiro há uma questão fiscal que se coloca, têm a questão das taxas de juros e de crédito ao setor produtivo. Há também uma questão tributária, que há algum tempo dizia-se que haveria alteração, mas não houve. Também tem a questão de que não há uma alteração por parte da demanda. Os consumidores não estão reagindo com relação a essa expectativa positiva com o atual governo. Então é um somatório, mas a parte mais grave é falta de investimento.”

O resultado negativo é o primeiro desde 2016, quando a queda foi de 0,6%. No resultado deste primeiro trimestre, os setores de Agropecuária e Indústrias tiveram quedas de 0,5% e 0,7%, respectivamente. Na contramão, o segmento de Serviços registrou uma pequena alta de 0,2%.

Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9310 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).