Na Bahia, Greve Geral mobiliza trabalhadores de 48 municípios

Cartazes anunciam Greve Geral na Bahia, nesta sexta-feira (14/06/2019).
Cartazes anunciam Greve Geral na Bahia.
Cartazes anunciam Greve Geral na Bahia, nesta sexta-feira (14/06/2019).
Cartazes anunciam Greve Geral na Bahia.

A Greve Geral convocada por movimentos dos trabalhadores contra a Reforma da Previdência do Governo Bolsonaro e a política neoliberal de extrema-direita em curso no país mobiliza, nesta sexta-feira (14/06/2019), trabalhadores de 48 municípios da Bahia.

Segundo os organizadores do movimento, “o povo brasileiro, não aceitamos a reforma da Previdência que é um dos pacotes de retida de direitos mais cruel que já vimos em nossa história de luta”.

Cedro Silva, presidente da CUT Bahia, diz que “é inadmissível um plano de colocar regras de aposentadoria que a maioria dos brasileiros brasileiras não irão alcançar. Um sistema de arrecadação falido sem garantia que vamos conseguir resgatar nosso dinheiro no final, ou seja, só benefício para os banqueiros. Corta salário de viúva de pobres mas as viúvas e filhas dos militares continuam recebendo fortunas, corta salários de aposentadoria para quem é deficiente. Não vamos permitir! Vamos para as ruas, a voz do povo é forte! Agora é lutar pela aposentaria, já barramos essa reforma em 2017, vamos conseguir barrar novamente! Rumo à greve geral!”

Profissionais e cidades

Dentre as categorias profissionais mobilizadas estão petroleiros; servidores públicos federais; trabalhadores  do Polo Industrial de Camaçari, Rodoviários, metroviários, bancários, vigilantes, comerciantes, previdenciários, trabalhadores dos Correios, funcionários de saneamento, eletricitários, atendente de telemarketing, trabalhadores da construção civil e pesada, metalúrgicos, funcionários da indústria da borracha, profissionais de saúde, trabalhadores do ramo de bebidas, funcionários das fábricas de papel e celulose, trabalhadores de limpeza, mineiros, Sindicato calçadistas, funcionários estaduais, funcionários municipais, funcionários do judiciário, auditores fiscais do trabalho, trabalhadores de hotelaria e bares, motoristas de transporte de cargas, padeiros, gráficos e condutores de auto escolas.

Os protestos mobilizam trabalhadores a partir das 5 horas, na capital e no interior, nas cidades de Salvador, Feira de Santana, Camaçari, Serrinha, Paulo Afonso, Juazeiro, Senhor do Bonfim, Serrinha, Conceição do Coité, Alagoinhas, Catu, Pojuca, São Sebastião do Passé, Candeias, Santo Amaro, Camaçari, Feira de Santana, Jacobina, Ipirá, Cruz das Almas, Santo Antônio de Jesus, Valença, Vitória da Conquista, Ilhéus, Itabuna, Guanambi, Urandi, Jequié, Itapetinga, Barreiras, São Desidério, Oliveira dos Brejinhos, Eunápolis, Porto Seguro, Itamaraju , Teixeira de Freitas, Mucuri, Teixeira de Freitas, Senhor do Bonfim, Jacobina, Caem, Pindobaçu, Campo Formoso, Filadélfia, Macarani, Maiquinique, Itaratim e Jacobina.

Sobre Carlos Augusto 9707 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).