Em maio de 2019, inflação da Região Metropolitana de Salvador desacelera para 0,11%

Tabela do IBGE apresenta inflação de maio de 2019 na Região Metropolitana de Salvador (RMS).
Tabela do IBGE apresenta inflação de maio de 2019 na Região Metropolitana de Salvador (RMS).
Tabela do IBGE apresenta inflação de maio de 2019 na Região Metropolitana de Salvador (RMS).
Tabela do IBGE apresenta inflação de maio de 2019 na Região Metropolitana de Salvador (RMS).

Em maio de 2019, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), medida oficial da inflação, ficou em 0,11% na Região Metropolitana de Salvador (RMS), com importante desaceleração em relação a abril, quando havia sido de 0,83%. Ficou também significativamente abaixo do índice de maio de 2018 (1,11%). Foi ainda o menor IPCA para um mês de maio, na RMS, desde 2000, quando o indicador havia ficado em 0,07%.

O índice de maio na RM Salvador (0,11%) ficou um pouco abaixo da média nacional (0,13%) e foi a terceira menor alta entre as 16 áreas pesquisadas. A inflação do mês foi maior em Rio Branco/AC (0,67%), Goiânia/ GO (0,48%) e Campo Grande/MS (0,42%). Por outro lado, a Região Metropolitana de Curitiba (-0,03%), Brasília (-0,05%) e a Região Metropolitana do Rio de Janeiro (-0,05%) tiveram deflação em maio.

Com o resultado do mês, o IPCA na RM Salvador acumula alta de 2,27% de janeiro a maio de 2019. No país como um todo, o índice acumulado neste ano está em 2,22%. Já no acumulado nos 12 meses encerrados em maio, a inflação na RM Salvador desacelerou para 4,21%, frente aos 5,26% registrados nos 12 meses encerrados em abril, ficando abaixo da média nacional (4,66%).

A tabela a seguir mostra o IPCA para Brasil e áreas pesquisadas, no mês e acumulado nos 12 meses encerrados em maio de 2019.

Despesas com habitação (+1,34%) e transportes (+0,65%) foram as que mais puxaram inflação da RM Salvador para cima em maio

Dentre os nove grupos de produtos e serviços que compõem o IPCA, quatro apresentaram altas em maio, na Região Metropolitana de Salvador: Habitação (+1,34%), Vestuário (+1,21%), Transportes (+0,65%) e Saúde e cuidados pessoais (+0,12%).

Entretanto, em razão do seu peso nos orçamentos das famílias na RMS, as despesas para morar e se locomover foram as que mais puxaram para cima a inflação do mês.

No grupo Habitação, a energia elétrica (+6,35%) exerceu o principal impacto. Foi também o item que individualmente mais contribuiu para a alta do IPCA na Região Metropolitana de Salvador. O aumento foi influenciado pela entrada em vigor, em maio, da bandeira tarifária amarela, com custo adicional de R$ 0,01 para cada quilowatt-hora consumido, além de refletir o reajuste ocorrido no fim de abril.

Dentre as despesas com moradia, o aumento do gás de botijão (+2,02%) também foi importante para a inflação de maio na RMS.

Já no grupo Transportes, além da alta dos ônibus intermunicipais (+3,39%), os combustíveis (+1,40%) voltaram a exercer uma pressão importante, com aumentos na gasolina (+1,21%), no etanol (+2,06%) e no diesel (+2,61%).

Com primeira deflação importante no ano, Alimentação e bebidas (-1,09%) ajudam a segurar IPCA do mês

Após ter sido uma das principais pressões inflacionárias nos primeiros meses do ano, os alimentos, sobretudo os cionsumidos em casa, tiveram em maio uma deflação importante (-1,09%) e contribuíram de forma decisiva para a desaceleração do IPCA do mês, na RMS.

Dos cinco itens que mais seguraram o índice em maio, quatro foram alimentos, muitos dos quais vinham com fortes altas em 2019. A farinha de mandioca (-13,29%) exerceu a maior contribuição individual no sentido de conter a inflação na RM Salvador, seguida pela batata-inglesa (-21,1%), a cebola (-24,51%) e o tomate (-5,01%).

Além desses alimentos, as passagens aéreas (-18,81%) também mostraram recuo importante.

Na RM Salvador, INPC foi de 0,11% em maio

Na Região Metropolitana de Salvador, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que mede a inflação das famílias com menores rendimentos, também ficou em 0,11% em maio, bem abaixo do 1,08% registrado em abril e menor que o índice de maio de 2018 (0,98%). O INPC de maio na RM Salvador ficou ainda abaixo da média nacional (0,15%).

No acumulado nos cinco primeiros meses de 2019, o INPC da RMS está em 2,41%; o acumulado nos 12 meses encerrados em maio chega a 4,54%. Em ambos os casos, os índices estão abaixo da média para o Brasil (2,44% e 4,78%, respectivamente).

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 116918 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.