Vereador Alberto Nery cobra investigação sobre denúncia de envolvimento de Luiz Ferreira na comercialização de boxes do Shopping Popular de Feira de Santana

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Vereador Alberto Nery cobra investigação da conduta do colega Luiz Ferreira Dias (Luiz da Feira, PPL), concernente a tentativa de agir como revendedor dos boxes do Centro Comercial Popular de Feira de Santana.
Vereador Alberto Nery cobra investigação da conduta do colega Luiz Ferreira Dias (Luiz da Feira, PPL), concernente a tentativa de agir como revendedor dos boxes do Centro Comercial Popular de Feira de Santana.
Vereador Alberto Nery cobra investigação da conduta do colega Luiz Ferreira Dias (Luiz da Feira, PPL), concernente a tentativa de agir como revendedor dos boxes do Centro Comercial Popular de Feira de Santana.
Vereador Alberto Nery cobra investigação da conduta do colega Luiz Ferreira Dias (Luiz da Feira, PPL), concernente a tentativa de agir como revendedor dos boxes do Centro Comercial Popular de Feira de Santana.

Durante pronunciamento na sessão ordinária desta segunda-feira (08/04/2019), na Câmara Municipal de Feira de Santana, o vereador Alberto Nery (PT) cobrou investigação sobre denúncia de que o colega Luiz Ferreira Dias (Luiz da Feira, PPL) teria pedido ao empresário Elias Tergilene, responsável pela obra do Shopping Popular, 250 boxes para comercializar através da associação de ambulantes a qual está vinculada.

Nery afirmou que a Câmara não pode ficar omissa, após uma acusação tão grave. E solicitou que a vereadora Gerusa Sampaio (DEM) corregedora da Casa apure o caso.  “Precisamos apurar para dar respeitabilidade, moralidade”, salientou.

O petista acrescentou que tomou conhecimento, nos últimos dias, que os boxes do Shopping Popular serão separados por madeirites e que os banheiros funcionarão em contêineres. “Quero propor uma comissão de vereadores para ir hoje, logo após a sessão, averiguar a obra. Uma obra com dinheiro público, em uma área nobre da cidade que foi doada precisamos verificar de perto”, frisou.

Alberto Nery destacou que, inicialmente, Luiz da Feira denunciou a venda de boxes do Shopping Popular, inclusive com o suposto valor cobrado de R$ 50 mil. O empresário rebateu a acusação e alegou o pedido de 250 boxes. “Queremos que o assunto seja apurado e não jogado para debaixo do tapete”, ratificou o petista.

Em aparte, o presidente do Legislativo, vereador José Carneiro (PSDB) garantiu confiar no caráter de Luiz da Feira e o aconselhou a tomar medidas jurídicas para provar sua inocência. “Nada mais justo. Tome todas as providências para mostrar que ele está o caluniando. Pois se ficar provado o contrário, trata-se de quebra de decoro parlamentar e pode perder seu mandato”,

A corregedora, Gerusa Sampaio, colocou-se à disposição para ouvir o empresário Elias Tergilene, Luiz da Feira e apurar o caso. “Ainda não fomos provocados pelo Ministério Público, mas é preciso averiguar”, afirmou.

O vereador Antônio Carlos Passos Ataíde Carlito do Peixe (DEM) – sugeriu que a corregedora faça um ofício convidando o empresário e Luiz da Feira para prestar esclarecimentos.

Vereador nega acusação 

Luiz Ferreira Dias (Luiz da Feira, PPL) negou a acusação de ter pedido 250 boxes do Shopping Popular para sua associação de camelôs comercializar. A acusação foi feita pelo empresário Elias Tergilene, responsável pela obra, durante entrevista à TV Web Caldeirão.  O assunto foi abordado por vários vereadores na sessão ordinária desta segunda-feira (08/04/2019), na Câmara Municipal.

Luiz da Feira afirmou que foi a São Paulo, acompanhado de seu assessor Robson, participar de um curso. Na ocasião foi convidado pelo empresário para ver a maquete do Shopping Popular.

“Eu não pedi nada. Tenho ambição para ajudar o próximo e não por dinheiro. Este final de semana recebi quase 1000 mensagens me elogiando pela coragem de denunciar a venda de boxes. Fiz um requerimento pedindo transparência”, afirmou o parlamentar.

Segundo o vereador, o empresário chegou a divulgar na imprensa que tinha 300 boxes do Shopping Popular para comercializar.

Em aparte, o vereador Edvaldo Lima (PP), disse acreditar na idoneidade de Luiz da Feira.  “O senhor tem caráter. Mas tenho minhas dúvidas em relação a este empresário. Lembro quando ele disse nas redes sociais sobre estes 300 boxes para comercializar. O senhor foi contra. Apresentou projeto para que não pudessem ser comercializados. Agora recebe retaliações” analisou,

Luiz da Feira ratificou que levanta a bandeira dos ambulantes e não dos empresários. E acrescentou que vai tomar as medidas jurídicas necessárias para provar que a acusação é falsa.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 113734 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]