Procissão do Fogaréu mantém tradição secular em Feira de Santana

Tradição secular mantida pela Igreja Católica, a Procissão do Fogaréu passou pelas principais ruas e avenidas do centro de Feira de Santana.
Tradição secular mantida pela Igreja Católica, a Procissão do Fogaréu passou pelas principais ruas e avenidas do centro de Feira de Santana.
Tradição secular mantida pela Igreja Católica, a Procissão do Fogaréu passou pelas principais ruas e avenidas do centro de Feira de Santana.
Tradição secular mantida pela Igreja Católica, a Procissão do Fogaréu passou pelas principais ruas e avenidas do centro de Feira de Santana.

Tradição secular mantida pela Igreja Católica, a Procissão do Fogaréu passou pelas principais ruas e avenidas do centro de Feira de Santana, na noite desta quinta-feira (18/04/2019). À frente do cortejo, que este ano recebeu um número significativo de mulheres, o arcebispo metropolitano Dom Zanoni e o prefeito Colbert Martins Filho, repetindo um gesto que marcou os últimos momentos da passagem de Jesus Cristo pela Terra.

Antes da procissão, a pregação na Capela do Hospital Dom Pedro de Alcântara reuniu centenas de fiéis para reflexão sobre os ensinamentos de Jesus, a importância da data e o significado do período da Quaresma, os quarenta dias que antecederam a ressurreição de Cristo.

Logo em seguida, a Procissão do Fogaréu saiu pela rua Edelvira de Oliveira, com os homens carregando as tochas, que simbolizam a busca incansável dos soldados para capturarem Jesus. À frente, o som da matraca, chamando as pessoas para a rua.

Aos poucos, a multidão foi se juntando ao cortejo, que seguiu pelas avenidas Maria Quitéria e Getúlio Vargas.

As comemorações prosseguem até domingo, 21, quando se encerra o ciclo de sofrimento de Jesus Cristo e é comemorada a sua ressurreição, época das boas novas e da salvação.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 109821 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]