Nos 350 anos de Rembrandt, exposições pelo mundo celebram artista plástico que é avaliado como um dos nomes mais famosos da história da arte

Rembrandt Harmenszoon van Rijn (Leida, 15 de julho de 1606 — Amsterdam, 4 de outubro de 1669) foi um pintor e gravador holandês.
Em 2019, Rembrandt Harmenszoon van Rijn  completa 350 anos da morte, e museus de todo mundo montam exposições para celebrar o extraordinário legado artístico do pintor, gravador, impressor e desenhista,  mestre do Século do Ouro Holandês.
Rembrandt Harmenszoon van Rijn (Leida, 15 de julho de 1606 — Amsterdam, 4 de outubro de 1669) foi um pintor e gravador holandês.
Em 2019, Rembrandt Harmenszoon van Rijn  completa 350 anos da morte, e museus de todo mundo montam exposições para celebrar o extraordinário legado artístico do pintor, gravador, impressor e desenhista,  mestre do Século do Ouro Holandês.

De 27 de abril a 30 de junho de 2019, a Casa-Museu Ema Klabin, no jardim Europa, em São Paulo,  promove a exposição “Gravuras de Rembrandt”, com curadoria do arquiteto Paulo Costa. Obras da coleção estarão em destaque na entrada do museu.

São cinco  gravuras que fazem parte da coleção de  Ema Klabin, todas originais de Rembrandt, além de detalhes de sua história e técnica . Entre as gravuras, estão: Retrato  do Caligrafista Lieven Van Coppenol (1658. Água-forte e ponta-seca); Jovem sentado no chão com uma perna estendida(1646. Água-forte e ponta-seca); Cristo e a Samaritana(1658. Água-forte e ponta-seca); Nu feminino reclinado (1658. Água-forte, ponta-seca e buril); Estudos da cabeça de Saskia e outros(1636. Água-forte).

De acordo com o curador Paulo Costa, uma das gravuras Jovem sentado no chão com uma perna estendida (1646) foi adquirida por Ema Klabin em  uma galeria do Rio de Janeiro em 1947. “Acreditamos  que todas as outras gravuras de Rembrandt tenham sido adquiridas por Ema Klabin ainda nesse período de início da coleção”, acrescenta.

Sobre Rembrandt:

No período de sua vida (1606-1669), Rembrandt era pouco conhecido fora de seu país e a divulgação de sua obra era – como de tantos outros artistas – realizada principalmente por meio da produção de gravuras.

Grande parte dos artistas apenas fornecia desenhos para que gravadores produzissem as matrizes de impressão, mas Rembrandt teve especial interesse pela técnica, conseguindo produzir obras que buscavam refletir diversos aspectos de sua pintura, especialmente pela exploração dos jogos de luz e sombra.

Abrangendo diversos assuntos, entre estudos, retratos, paisagens e temas bíblicos, as gravuras de Rembrandt só seriam reconhecidas pelo seu caráter inovador e transgressor postumamente, e até hoje são objeto de interesse de museus e colecionadores de todo o mundo.

Agenda

Exposição: Gravuras de Rembrandt

Curadoria: Paulo Costa

Início: 27 de abril – 14h

Período: De 27 de abril a 30 de junho

Visitação: De quarta a domingo, das 14h às 17h (com permanência até às 18h), sem agendamento.

Local: Fundação Ema Klabin

Endereço: Rua Portugal, 43, Jardim Europa – São Paulo Tel: 55 11 3897-3232

https://emaklabin.org.br/

Jovem sentado no chão com uma perna estendida, de Rembrandt H. van Rijn, da Coleção Fundação Ema Klabi.
Jovem sentado no chão com uma perna estendida, de Rembrandt H. van Rijn, da Coleção Fundação Ema Klabi.
Nu feminino reclinado de Rembrandt H. van Rijn, da Coleção Fundação Ema Klabin.
Nu feminino reclinado de Rembrandt H. van Rijn, da Coleção Fundação Ema Klabin.
Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9303 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).