Não há dúvida de que nazismo foi movimento de esquerda, diz presidente Jair Bolsonaro em Israel; Nação elegeu analfabeto funcional

Jair Bolsonaro, presidente da República. Atuação conjugada com declarações o qualificam como analfabeto funcional.
Jair Bolsonaro, presidente da República. Atuação conjugada com declarações o qualificam como analfabeto funcional.
Jair Bolsonaro, presidente da República. Atuação conjugada com declarações o qualificam como analfabeto funcional.
Jair Bolsonaro, presidente da República. Atuação conjugada com declarações o qualificam como analfabeto funcional.

O presidente Jair Bolsonaro fez nesta terça-feira eco às declarações do ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, ao afirmar que “não há dúvida” de que o nazismo foi um movimento de esquerda, durante entrevista a jornalistas em Israel.

Para embasar o argumento, o presidente procurou lembrar o nome oficial do Partido Nazista.

“Não há dúvida, né? Partido Socialista, como é que é? ”, respondeu Bolsonaro quando indagado por um repórter se concordava com a declaração de Araújo, dada recentemente e posteriormente reiterada, de que o nazismo, que governou a Alemanha de 1933 a 1945, quando o país foi derrotado na Segunda Guerra Mundial, era um movimento de esquerda.

“Partido Nacional Socialista da Alemanha”, completou o presidente ao ser lembrado do que seria o nome oficial do partido nazista, de Adolf Hitler. Na verdade, o nome completo era Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães.

Um dos compromissos de Bolsonaro em sua visita a Israel foi uma visita ao Yad Vashem, o museu mundial do Holocausto, quando 6 milhões de judeus foram assassinados pela Alemanha nazista de Hitler. O site do museu traz a história do Holocausto e a ascensão do nazismo da Alemanha. De acordo com o site, o Partido Nazista teve origem em grupos radicais de direita.

“Hitler e o Partido Nazista chegaram ao poder devido a circunstâncias sociais e políticas que caracterizaram o período entre-guerras na Alemanha. Muitos alemães não podiam admitir a derrota de seu país na Primeira Guerra Mundial, argumentando que ‘traições’ e a fragilidade na retaguarda paralisaram e, eventualmente, causaram o colapso na frente de batalha”, afirma o museu em seu site em um texto em inglês.

“Essa frustração, junto com a resistência intransigente e alertas sobre a crescente ameaça do comunismo, criou solo fértil para o crescimento de grupos radicais de direita na Alemanha, gerando entidades como o Partido Nazista. ”

Ao proferir a declaração de que o “nazismo foi movimento de esquerda”, o presidente Jair Bolsonaro evidência que é um analfabeto funcional. Observa-se que os estudiosos do tema comprovaram por meio de documentos e análises teóricas que o nazismo é parte do totalitarismo e da ideologia de extrema-direita.

No contexto, é natural que o presidente Jair Bolsonaro queira negar que sendo um político de extrema-direita não tem identidade com o nazismo. Mas, a tentativa de negar reiteradamente os fatores de identidade, se conforma em elementos que define os extremistas totalitários.

*Com informações de Reuters Staff da Agência Reuters.

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 108298 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]