Micareta de Feira de Santana: Da rua Direita à avenida Presidente Dutra | Por Adilson Simas

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Micareta de Feira de Santana ocorria no centro da cidade, em frente ao Paço Maria Quitéria.
Micareta de Feira de Santana ocorria no centro da cidade, em frente ao Paço Maria Quitéria.
Micareta de Feira de Santana ocorria no centro da cidade, em frente ao Paço Maria Quitéria.
Micareta de Feira de Santana ocorria no centro da cidade, em frente ao Paço Maria Quitéria.

À medida que o tempo passava e a participação popular crescia, a Micareta de Feira de Santana, que nasceu na Rua Direita, hoje Conselheiro Franco, foi se expandindo e, discretamente deixando os circuitos antigos para trás. Mas a festa que nasceu para o povo continuou sendo dele.

Quando nasceu, escolas de samba, cordões e carros alegóricos e foliões avulsos percorriam o trecho entre a praça da Matriz, atual Monsenhor Renato Galvão, onde se concentravam, até a praça Fróes Motta, a dispersão.

Uma das justificativas da realização da festa na Direita era que lá se concentravam os clubes sociais: o 25 de Março, Vitória e, a partir dos anos 50, a Euterpe. Os radialistas montavam seus estúdios sob a marquise da Loja Pires.

Com o tempo, foliões e carros alegóricos começaram a seguir à direita, direção da praça da Bandeira e a J. Pedreira. A partir daquele marco, a micareta na Direta começou a se esvaziar até ser abandonada.

E a festa continuou subindo. Na fase seguinte ocupou a avenida Senhor dos Passos, onde os desfiles, coroação da rainha e apresentações das atrações sobre trios elétricos passara a acontecer. Era na Casa da Torre, de Oscar Tabaréu, que os políticos se reuniam para ver a festa.

Novo deslocamento: subiu a Getúlio Vargas. As barracas ocuparam os dois lados da avenida até a imediações do retorno do IHEF. Horas depois de iniciado o desfile, a todo instante aconteciam encontros de trios, com cantores interagindo e os foliões no meio.

Foi na década de 90 que os primeiros camarotes foram montados no circuito da micareta, entre a praça de Alimentação e a rua Barão do Rio Branco. Estes espaços privativos provocaram uma pequena revolução na festa. Antes, a concentração acontecia nas barracas.

Novamente o espaço para a realização da festa ficou pequeno. Para a micareta do novo milênio, novo local. Camarotes e barracas foram montados na avenida Presidente Dutra. E o circuito da festa ganhou nome e sobrenome: Maneca Ferreira, atuante na comissão que criou a festa em 1937.

*Adilson Simas é jornalista e atua em Feira de Santana.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 113552 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]