Fazendários param atividades na Bahia em protesto contra arrocho salarial

Fazendários promoveram paralisação na Bahia em protesto contra arrocho salarial, nesta terça-feira (02/04/2019).
Fazendários promoveram paralisação na Bahia em protesto contra arrocho salarial
Fazendários promoveram paralisação na Bahia em protesto contra arrocho salarial, nesta terça-feira (02/04/2019).
Fazendários promoveram paralisação na Bahia em protesto contra arrocho salarial

Os fazendários do Estado paralisaram atividades nesta terça (02/04/2019), mantendo sem funcionamento a maior parte das repartições de atendimento da Secretaria da Fazenda, postos fiscais e postos do SAC. A categoria também participou da caminhada que saiu do Campo Grande e foi até a Praça Municipal, em Salvador, que reuniu também os trabalhadores em Educação, técnicos da UNEB e UEFS, servidores da Saúde e funcionários da Justiça.

Os servidores reclamam do congelamento salarial, que já provocou perdas de 25% nos vencimentos desde 2013. O funcionalismo questiona também o sucateamento do Planserv, o aumento da alíquota previdenciária para 14% e o não pagamento da URV no executivo, itens que fazem parte da pauta geral de reivindicações, que atinge a todos os funcionários públicos do Estado.

Já os fazendários cobram outros pontos específicos da categoria, como o cumprimento do teto constitucional, mudança em gratificações dos técnicos administrativos, aumento do ponto da gratificação dos servidores do fisco e cumprimento das decisões judiciais transitadas em julgado.

O Sindsefaz (Sindicato dos Fazendários) questiona o discurso de que não há recursos para reajustar os vencimentos dos servidores. A entidade informa que entre janeiro e março deste ano a arrecadação subiu R$ 505 milhões se comparado com o mesmo período de 2018, um crescimento de 9,5%. “O governo diz que não tem dinheiro para atender nossos pleitos, mas nas ruas, no rádio e na TV somos bombardeados com uma intensa propaganda de feitos da atual gestão”, denuncia Claudio Meirelles, diretor de Organização do Sindicato.

Sobre Carlos Augusto 9455 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).