Fazendários paralisam atividades e participam de manifestação no Campo Grande em Salvador

Cartaz anuncia protestos por direitos trabalhistas.

Fazendários da Bahia paralisam atividades em defesa de direitos trabalhistas.

Os fazendários do Estado da Bahia paralisam atividades nesta terça (02/04/2019) e participam de manifestação a partir das 9h, no Campo Grande. Também vão parar os trabalhadores em Educação, técnicos da UNEB e UEFS, servidores da Saúde e funcionários da Justiça, convocados por suas respectivas entidades representativas: Sindsefaz, APLB-Sindicato, Sintest, Sindsaúde e Sinpojud.

A paralisação visa pressionar o governo a debater o reajuste salarial, a situação do Planserv, o pagamento da URV, além de questões específicas das categorias. Os servidores do Estado encaram perdas de 25% em seus vencimentos nos últimos seis anos (parcelamento dor reajuste em 2013 e 2014 e congelamento a partir de 2015). Os fazendários também reivindicam o cumprimento do teto constitucional, mudança em gratificações dos técnicos administrativos, aumento do ponto da gratificação do fisco e cumprimento das decisões judiciais transitadas em julgado.

O funcionalismo reclama que além de congelar os salários, o governo aumentou o valor a ser pago pelo trabalhador ao plano de saúde, o Planserv, ao mesmo tempo em que sucateou o atendimento com a política de cotas, obrigando muitos a pagarem procedimentos de forma particular. Além disso, em dezembro passado, aprovou uma lei para cortar mais R$ 200 milhões do plano em 2019 e aumentou a contribuição previdenciária, ao Funprev, de 12% para 14%.

“Além de congelar os vencimentos, o Estado encareceu o plano de saúde e ainda aumentou a alíquota previdenciária, em um misto de arrocho e confisco, que está comprometendo a vida financeira dos servidores”, diz Cláudio Meirelles, diretor de Organização do Sindsefaz. Ele acrescenta que falta sensibilidade do governo para conversar com as entidades e encontrar saídas para a situação. “Agora mesmo os fazendários arrecadaram R$ 505 milhões a mais no primeiro trimestre de 2019 em relação ao mesmo período de 2018, um crescimento de 9,5%, acréscimo que poderia ser usado para aliviar a situação desesperadora de muitos trabalhadores que já perderam ¼ de seu s alário mensal”, completa.

Os fazendários vão parar os postos dos SACs e as repartições da Sefaz no horário administrativo. Os postos fiscais, que ficam nas rodovias, a paralisação começará a partir da 0h desta terça (02). Quem estiver com Ordem de Serviço a cumprir, o Sindsefaz orientou evitar fazer diligências ou atendimento nessa data.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).