Campeão brasileiro de 1959, Esporte Clube Bahia ganha livro que resgata história da conquista 

Jornalista Antonio Matos, autor do livro 'Heróis de 59', entrega exemplar da obra à Leonardo Conceição Cardoso (Nadinho) ex-goleiro do Esporte Clube Bahia Nadinho, campeão da I Taça Brasil.

Jornalista Antonio Matos, autor do livro ‘Heróis de 59’, entrega exemplar da obra à Leonardo Conceição Cardoso (Nadinho) ex-goleiro do Esporte Clube Bahia Nadinho, campeão da I Taça Brasil.

“Ao extraordinário goleiro Nadinho, um dos heróis de 59, com um forte abraço de Antônio Matos”. Esta foi a dedicatória do autor do livro ‘Heróis de 59’, lançado no último dia 10, na Arena Fonte Nova, no exemplar que entregou, na manhã desta quarta-feira (17), ao ex-jogador do Bahia, campeão da I Taça Brasil.

Morando há 30 anos em Itapuã, nas proximidades da Avenida Dorival Caymmi, ao lado de Tereza, sua mulher, e do cachorro ‘Hulk’, Leonardo Conceição Cardoso agradeceu o presente e prometeu ler imediatamente a obra, que narra a história do primeiro título nacional, conquistado pelo Bahia, numa decisão contra o Santos, no Maracanã, em 29 de março de 1960. “Vou reviver aqueles gloriosos momentos”, disse.

Durante a visita do autor, o ex-goleiro  revelou ter poucos registros da carreira de jogador profissional, limitando-se a algumas fotos, em mãos dos filhos Lúcio e Léo, e a recortes de jornais guardados por Tereza – sua companheira há 63 anos – como uma reportagem assinada pelo jornalista Jaime Cordeiro, em 1970, no hoje extinto ‘Diário de Notícias’.

‘Macho’, como era conhecido no meio da boleirada, participou de 13 dos 14 jogos da campanha vitoriosa de 1959. “Contundido, só não atuei na segunda partida contra o CSA, realizada na Fonte Nova, quando fui substituído por Jair”, afirmou.

Ainda forte, apesar de uma sequela na mão esquerda, provocada por um AVC, Nadinho revelou que nunca bebeu, apesar de conviver num ambiente em que todos gostavam de uma balada. Acrescentou que sempre se relacionou bem com os companheiros e que também não nunca teve problemas com os dirigentes.

“Nadinho sempre foi avesso a entrevistas, a ponto de em 1960, quando a delegação chegou ao Aeroporto de Salvador depois de conquistar a primeira taça de Campeão Brasileiro de Futebol, ele sair por uma porta lateral e não participar do desfile em carro aberto que parou a cidade”, contou o autor, que apresenta no livro um perfil de todos os atletas e dos dois técnicos que atuaram pelo Bahia na campanha do primeiro título nacional do futebol brasileiro.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Redação do Jornal Grande Bahia
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]