Ações prioritárias de Infraestrutura hídrica e saneamento são discutidas na SEPLAN da Bahia

Secretários Walter Pinheiro e Leonardo Góes debatem obras de reservação hídrica.
Secretários Walter Pinheiro e Leonardo Góes debatem obras de reservação hídrica.
Secretários Walter Pinheiro e Leonardo Góes debatem obras de reservação hídrica.
Secretários Walter Pinheiro e Leonardo Góes debatem obras de reservação hídrica.

A realização de grandes obras de reservação hídrica, como barragens, ampliação da cobertura de saneamento básico e da distribuição de água.  Essas foram algumas das ações prioritárias da Secretaria de Infraestrutura Hídrica e Saneamento (SIHS) discutidas nesta sexta-feira (12/04/2019) pelos secretários do Planejamento, Walter Pinheiro, e da SIHS, Leonardo Góes Silva, na sede da Secretaria Estadual do Planejamento (Seplan), no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador. Participaram ainda da reunião de trabalho gestores e equipes técnicas da Embasa e da Companhia de Engenharia Hídrica e de Saneamento da Bahia (Cerb), instituições vinculadas à SIHS.

De acordo com Pinheiro, o alinhamento das equipes das duas secretarias vai permitir traçar linhas fundamentais e metas concretas associadas às necessidades da ponta. “Uma possibilidade efetiva de termos um grau de eficiência na execução e, consequentemente, atingir os objetivos de uma das políticas decisivas para nosso estado, que enfrenta diversos problemas do ponto de vista de convivência com a seca”, explicou. Ele detalhou ainda que a Bahia já avançou muito na distribuição, contudo ainda precisa continuar avançando ainda mais na reservação e captação de água.

Para o secretário Leonardo Góes, a iniciativa mostra a proatividade da Seplan em convocar as demais secretarias para analisar questões ligadas a Plano Plurianual Participativo (PPA), ao orçamento e o planejamento de uma forma integrada, ainda no início de construção do PPA 2020-2023. “Reunião muito produtiva, porque integramos as equipes e discutimos temas desse ano e, de foram conjunta, a elaboração de ações de longo prazo, ou seja, detalhes cruciais, desde pendências imediatas que envolvem o orçamento, mas também discussões de futuro, estratégicas e transversais”, detalhou.

Sobre Carlos Augusto 9515 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).