Site Fogo Cruzado registra 70 tiroteios durante Carnaval 2019 do Rio de Janeiro; Troca de tiros levou 12 pessoas à morte

Publicidade

Banner da Gujão: Campanha com o tema ‘Tudo fresquinho é melhor’, veiculada em 3 de junho de 2022.
Reprodução da página inicial do site do Instituto Fogo Cruzado.
Reprodução da página inicial do site do Instituto Fogo Cruzado.
Reprodução da página inicial do site do Instituto Fogo Cruzado.
Reprodução da página inicial do site do Instituto Fogo Cruzado.

O laboratório de dados sobre violência armada da plataforma digital Fogo Cruzado registrou 70 tiroteios na região metropolitana do Rio durante o período de carnaval. Em consequência da troca de tiros, 23 pessoas foram baleadas, 12 morreram e 11 ficaram feridas.

O número de tiroteios registrado este ano representa um aumento de 15% em relação ao carnaval de 2018, que teve 61 registros com 30 pessoas baleadas – 18 feridos e 12 mortos.

De acordo com o relatório, das 18h do dia 1º de março às 12h de quarta-feira (06/03/2019) houve uma média de 12 tiros por dia. Os bairros com o maior número de registros foram Complexo do Alemão (5), e o bairro Colégio, na zona norte, com 4 troca de tiros e Bangu, na zona oeste, com o registro de 3 tiroteios. O número de vítimas de bala perdida neste carnaval chama a atenção: 5 pessoas foram atingidas, sendo que 4 morreram.

Desde o início de 2019, o Fogo Cruzado já registrou 45 vítimas de bala perdida na região do Grande Rio. Destas, 14 morreram.

Plataforma digital

O Fogo Cruzado é um laboratório sobre violência armada que agrega e disponibiliza informações através de um aplicativo para tecnologia mobile combinado a um banco de dados. Uma plataforma digital colaborativa que tem o objetivo de registrar a incidência de tiroteios e a prevalência de violência armada na região metropolitana do Rio de Janeiro e do Recife.

Alertas são dados em tempo real para usuários que estiverem em um raio de 4 quilômetros da incidência de um tiro, baseado em seu GPS. A ferramenta também agrega informações – somadas a notícias veiculadas na imprensa e por órgãos policiais – em um banco de dados com geolocalização, horários das incidências, mortos e feridos em cada ocasião, bem como o registro da presença de agentes públicos de segurança no local da ocorrência, desde julho de 2016.

*Com informações da Agência Brasil.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Carlos Augusto 10093 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).