SEMMAM de Feira de Santana investiga morte de peixes em lagoa no Bairro Conceição II

O exame pode apontar a causa, ou causas, que resultaram na morte destes animais.
O exame pode apontar a causa, ou causas, que resultaram na morte destes animais.
O exame pode apontar a causa, ou causas, que resultaram na morte destes animais.
O exame pode apontar a causa, ou causas, que resultaram na morte destes animais.

A Secretaria de Meio Ambiente vai fazer exame físico-químico da água da lagoa principal da Pedreira – uma das três do conjunto destes espaços localizados no Bairro Conceição II, em Feira de Santana onde nesta terça-feira (05/02/2019), apareceram peixes mortos. O exame pode apontar a causa, ou causas, que resultaram na morte destes animais.

A maior parte dos peixes mortos, às margens da lagoa, é da espécie tilápia do Nilo – as maiores vítimas foram os maiores – não se constatou mortes de alevinos, sendo que muitos não tinham mais de dois centímetros de cumprimento. O mau cheiro no local indica a decomposição de matéria orgânica.

Na tarde desta quarta-feira, 6, o educador ambiental da SEMMAM, João Dias, e a professora-doutora Hilda Teles, da UFRB (Universidade Federal Rural da Bahia), estiveram na lagoa, e informaram que os peixes não devem ser consumidos.

O banho também deve ser evitado por não se conhecer a concentração de coliformes fecais, que são indicadores da qualidade da água.

Para a professora, as mortes dão indicativos de que a água está alterada. “A chuva trouxe concentrado de composto orgânico e bioquímico que precisam de oxigênio. E como são mais, ganham na competição com os peixes”. Mas, diz, com o tempo – que não precisou – a situação da qualidade da água volta ao normal.

Inicialmente, explica a professora, o consumo pode provocar problemas intestinais. Numa segunda fase, nos organismos destes animais pode conter metais pesados – elementos químicos tóxicos, como mercúrio, chumbo, que, acumulados e com o passar dos anos, podem causar sérios problemas de saúde.

Moradores informaram que muitas pessoas capturaram muitos peixes na tarde de terça-feira, com o uso de tarrafas ou diretamente com as mãos, quando eles subiam à superfície – disseram que pareciam que estavam agonizando pela falta de oxigênio.

O educador ambiental diz que o problema de poluição das lagoas é diretamente relacionado ao direcionamento de esgotos in natura para estes espaços. E que este problema apenas terá solução com educação ambiental e a universalização do saneamento básico.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 109881 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]