Salvador: Com direção de Thiago Romero e dramaturgia de Daniel Arcades, espetáculo ‘Afronte’ participa do 3° Fórum Negro de Arte e Cultura da UFBA

Cena do Espetáculo 'Afronte'.
Cena do Espetáculo 'Afronte'.
Cena do Espetáculo 'Afronte'.
Cena do Espetáculo ‘Afronte’.

Sucesso em sua primeira temporada no mês de fevereiro, o espetáculo Afronte – Akulobee volta a cartaz nos dias 21 e 22 de março de 2019, às 19 horas, na Casa Rosada, pela programação do 3° Fórum Negro de Arte e Cultura, realizado pela Escola de Teatro e Pró-Reitoria de Extensão Universitária da UFBA. A montagem dirigida por Thiago Romero e dramaturgia de Daniel Arcades traz dois espetáculos/percursos em uma única montagem para discutir gênero e raça.

Com estéticas totalmente diferentes, quem optar pelo percurso interno da Casa Rosada encontrará uma dramaturgia mais opinativa e cotidiana, em que traz as “BIXAS PRETAS” contemporâneas. As personagens contemporâneas têm um perfil mais para o teatro documental, comédia e humor.

Interpretadas pelos atores Anderson Danttas, Diogo Teixeira, Igor Nascimento e Rafael Brito, as personagens moram em uma casa denominada Cuierlombo/Queerlombo. Nesse espaço, contam suas histórias de vida; como se sentem sendo bichas e pretas; provocando debates e questionamentos.

Já o segundo percurso é uma dramaturgia mais lírica, do teatro ritual, poucos diálogos e investimento em poesia. Esta composição cênica que traz os atores Teodoro, Diego Alcântara, Ricardo Andrade e Antônio Marcelo inspira-se nas histórias das Quimbandas, grupos de negros escravizados da região do Congo e Angola, que foram trazidos e existem registros deles entre os séculos XVI e XIX.

Os Quimbandas foram completamente silenciados, ou pelo tráfico negreiro, ou inquisição, ou pelo processo higienista no século XIX. Com duas trajetórias, o público terá que escolher qual o percurso do espetáculo assistirá, sendo que, o limite por espaço é restrito, 25 pessoas por cada espaço.

As duas proposições fazem com que possamos nos ver por caminhos diferentes e que possamos nos responsabilizar e nos enxergar diante da discussão gênero e raça. O intuito de trazer a ancestralidade é, principalmente, por uma questão de referencialidade.

“Estudar a bicha preta nos levar a pensar nisso: Quem veio antes de mim? Quem brigou e lutou para que eu possa chegar neste lugar de discussão? Quem marcou presença na terra e firmou os pés como bicha e preta? É um espetáculo que nos leva a pensar justamente sobre esse apagamento da nossa história”, pontua Arcades.

Afronte fala da interseccionalidade da discussão de gênero e raça. Pouco se fala das narrativas bichas. “Como você opera gênero e raça nessas discussões tão em voga hoje em dia quanto ao racismo e a homofobia? Todo mundo sabe que minha pesquisa é em gênero, minha tendência é o aprofundamento, mas quando se entende como bicha preta e trabalhar esse discurso interseccional você percebe que é um recorte muito específico”, ressalta Romero.

O espetáculo tem direção musical de Filipe Mimoso, direção de movimento de Edeise Gomes, preparação vocal de Joana Boccanera, figurino e maquiagem de Tina Mello.

FNAC

Em 2019, o Fórum Negro de Arte e Cultura (FNAC) chega a terceira edição e será realizado de 18 a 22 de março em vários pontos da UFBA e traz como temática Xirê dos saberes: (Re) Conhecer, Existir, uma relação à festa pública do Candomblé, onde os Orixás são homenageados ao mesmo tempo. O fórum explorará a multiplicidade de saberes afros em diversas perspectivas, tanto nas artes, quanto na filosofia e outras linguagens.

Deflagrado em 2017, pela Escola de Teatro, emerge de uma insatisfação coletiva – dos estudantes da graduação, estudantes da pós-graduação e alguns professores engajados – referente ao recalcamento dos conhecimentos afro-referenciados na Universidade Federal da Bahia e práticas de um racismo institucional em suas instâncias.

Nesta terceira edição, o Fórum contará com várias ações durante os cinco dias de evento, como oficinas, conferências, ciclos de leituras dramáticas, Feira Afro, exposição de trabalhos acadêmicos, mesas de discussão, painéis de artes, cinema negro e lançamentos de livros.

Esta edição do evento homenageia o Teatro Experimental do Negro, de Abdias Nascimento, que completa 75 Anos. No dia 22 de março, o performer Milsoul Santos, artista representante das obras do Abdias e do Instituto de Pesquisas e Estudos Afro Brasileiros (IPEAFRO), do Rio de Janeiro, apresentará o poema Padê de Exu Libertador.

As inscrições para participar destas ações ocorrerão pelo site https://www.even3.com.br/FNAC. Já o credenciamento presencial para o FNAC ocorrerá no dia 18 de março, das 8 às 16 horas, no Foyer do Teatro Martim Gonçalves, mediante a doação de 1kg de alimento.

O 3° Fórum Negro de Arte e Cultura (FNAC) é uma realização da Escola de Teatro, do PPGAC, com o apoio da Pró-Reitoria de Ações Estudantis, da Pro-Reitoria da Universidade Federal da Bahia, da FUNCEB e tem a coordenação de Alexandra Dumas, Licko Turle e Stênio Soares. O PPGAC também apoia financeiramente o FNAC.

Nesta edição, o Fórum conta com a parceria da Escola de Dança, Escola de Belas Artes, Escola de Música, a Faculdade de Comunicação (FACOM), o Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Professor Milton Santos (IHAC), do Instituto de Filosofia. A produção é de Luiz Antônio Sena Jr, da DAGENTE Produções, e de André Araújo, da Escola de Teatro da UFBA.

Agenda

O quê: Afronte – com direção de Thiago Romero e dramaturgia de Daniel Arcades

Quando: 21 e 22 de março, às 19 horas

Onde: Casa Rosada

Endereço: Travessa dos Barris, n° 30, em frente a Biblioteca dos Barris

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 109750 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]