Profissionais da imprensa criticam falta espaço para trabalhar na passarela do Circuito Osmar, durante Carnaval 2019 de Salvador

Vista panorâmica do desfile do Bloco Ilê Ayê, no Circuito Osmar (Campo Grande), durante Carnaval 2019 de Salvador.
Vista panorâmica do desfile do Bloco Ilê Ayê, no Circuito Osmar (Campo Grande), durante Carnaval 2019 de Salvador. Profissionais da imprensa reclamaram do espaço inadequado para realização do trabalho.
Vista panorâmica do desfile do Bloco Ilê Ayê, no Circuito Osmar (Campo Grande), durante Carnaval 2019 de Salvador.
Vista panorâmica do desfile do Bloco Ilê Ayê, no Circuito Osmar (Campo Grande), durante Carnaval 2019 de Salvador. Profissionais da imprensa reclamaram do espaço inadequado para realização do trabalho.

É significativo o número de jornalistas, produtores, fotógrafos e radialistas internacionais que realizam a cobertura do Carnaval 2019 de Salvador, além da imprensa local e regional. Eles objetivam registrar os diversos ângulos e opiniões de uma das maiores festas populares do mundo.

No entanto, os profissionais de imprensa, principalmente cinegrafistas e fotógrafos estão tendo dificuldades em desenvolver adequadamente o trabalho, em decorrência da quantidade de foliões e ambulantes que ocupam a passarela do Campo Grande (entrada dos trios e blocos) do tradicional  circuito Osmar, onde, há tempos, só os profissionais  de imprensa tinham acesso ao local.

A diretora da Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) e vice-presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado da Bahia (SINJORBA), Regina Ferreira, que se encontrava na passarela do circuito durante o carnaval de Salvador foi abordada e questionada pelos profissionais de imprensa que reclamaram da falta de espaço na passarela para poder trabalhar com mais segurança e liberdade.

Indignada com a situação, Regina Ferreira disse que solicitará a prefeitura através da coordenação do carnaval, soluções a serem tomadas para garantir o trabalho de todo profissional credenciado.

“A prefeitura de Salvador oferece a sala de imprensa equipada com computadores a disposição dos profissionais credenciados, enquanto as rádios e as televisões têm os espaços determinados nos circuitos. É preciso equipara as condições de trabalho”, comentou a representante dos jornalistas.

“Sem dúvida alguma, o carnaval de Salvador é uma das maiores festas populares que existe. Conforme verso da letra da música de Claudia Leite, ‘O mundo desembarca em Salvador’. É preciso dar melhores condições aos profissionais da imprensa, para que possam levar ao Brasil e ao mundo a celebração dessa extraordinária festa popular”, concluiu Regina Ferreira.

Vista panorâmica do show da banda Cheiro de Amor, no Circuito Osmar (Campo Grande), durante Carnaval 2019 de Salvador.
Vista panorâmica do show da banda Cheiro de Amor, no Circuito Osmar (Campo Grande), durante Carnaval 2019 de Salvador. Profissionais da imprensa reclamaram do espaço inadequado para realização do trabalho.
Sobre Carlos Augusto 9406 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).