Prisão de Michel Temer é ‘manobra para restaurar imagem da força-tarefa da Lava Jato’, diz especialista

Ex-presidente Michel Temer (MDB/RJ) é preso por envolvimento em atos de corrução, desvelados no transcurso das investigações do Caso Lava Jato.Ex-presidente Michel Temer (MDB/RJ) é preso por envolvimento em atos de corrução, desvelados no transcurso das investigações do Caso Lava Jato.
Ex-presidente Michel Temer (MDB/RJ) é preso por envolvimento em atos de corrução, desvelados no transcurso das investigações do Caso Lava Jato.

Ex-presidente Michel Temer (MDB/RJ) é preso por envolvimento em atos de corrução, desvelados no transcurso das investigações do Caso Lava Jato.

O ex-presidente Michel Temer foi preso nesta quinta-feira (21/03/2019) em desdobramento da Operação Lava Jato. A Sputnik Brasil conversou com o cientista político André Rodrigues sobre os impactos desta operação na política nacional.

A Força-Tarefa da Operação Lava Jato prendeu o ex-presidente da República, Michel Temer, na manhã desta quinta-feira (21). Os agentes da Polícia Federal cumpriram também um mandado de prisão contra Moreira Franco, ex-ministro de Minas e Energia.

Em entrevista à Sputnik Brasil, o cientista político e professor da Universidade Federal Fluminense, André Rodrigues, frisou que o Temer é “um criminoso notório”, mas observou que o ex-presidente não tinha mais relevância na política nacional.

“A primeira coisa que é flagrante é o fato de que ele é um criminoso notório, uma figura do alto clero nacional, envolvido nos esquemas mais tradicionais da política brasileira, foi preso hoje. E a Dilma, que foi impeachmeada pelo Congresso, com vasta articulação do Judiciário no processo de impeachment, está solta, porque sobre ela não recai nenhum processo mais grave do ponto de vista criminal”, observou.

De acordo com o especialista, a prisão de Michel Temer está ligada com a tentativa de retomar o prestígio da Operação Lava Jato, tendo em vista o recente atrito entre o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e o ministro da Justiça, Sérgio Moro.

“Essa prisão acontece em um momento em que há um tensionamento com a Lava Jato […] a Lava Jato vem perdendo legitimidade, e de certa forma houve um atrito entre o Rodrigo Maia e o Moro, e a Lava Jato então decreta a prisão de Moreira Franco e Temer, sendo que Moreira Franco tem relações de parantesco entre o Rodrigo Maia”, argumentou o cientista político.

André Rodrigues destacou que “tem um componente nessa prisão que é de tentar elevar de novo a imagem pública da Lava Jato”.

Segundo o acadêmico, a prisão de Michel Temer é justa, mas tem valor político pequeno.

“É um corrupto notório, que bom que está preso, tinha mais é que estar preso mesmo, mas o valor político é pequeno. É uma figura que já não faz mais diferença no cenário político nacional e parece muito mais uma manobra, uma tentativa de restauração de imagem da Lava Jato”, completou.

*Com informações da Agência Brasil.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Redação do Jornal Grande Bahia
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]