O presidente Jair Bolsonaro foi mal interpretado em fala sobre Forças Armadas, diz Hamilton Mourão; Vice-presidente tenta corrigir demência verborrágica que afeta o governo

O vice-presidente do Brasil, Hamilton Mourão, fala à imprensa após reunião do Grupo Lima em Bogotá, Colômbia.
Vice-presidente Hamilton Mourão tenta corrigir a demência verborrágica do presidente Jair Bolsonaro.
O vice-presidente do Brasil, Hamilton Mourão, fala à imprensa após reunião do Grupo Lima em Bogotá, Colômbia.
Vice-presidente Hamilton Mourão tenta corrigir a demência verborrágica do presidente Jair Bolsonaro.

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, disse hoje (07/03/2019) que foi mal interpretada a declaração do presidente Jair Bolsonaro sobre as Forças Armadas. “O presidente está sendo mal interpretado. O presidente falou que, onde as Forças Armadas não estão comprometidas com democracia e liberdade, esses valores morrem”, afirmou.

Segundo o vice-presidente, Bolsonaro quis fazer um paralelo entre a atuação das Forças Armadas no Brasil e na Venezuela, onde a maior parte dos militares apoia o regime de Nicolás Maduro. “É o que acontece na Venezuela. Lá, as Forças Armadas rasgaram isso aí. Foi isso que ele quis dizer”, completou.

Bolsonaro participou, pela manhã, da cerimônia comemorativa dos 211 anos do Corpo de Fuzileiros Navais. Em seu discurso, ele agradeceu às Forças Armadas e afirmou que “democracia e liberdade só existem quando as suas Forças Armadas assim as querem”.

O pronunciamento de Bolsonaro provocou reação no meio político e a resposta do seu vice. “Se as Forças Armadas não são comprometidas com democracia e liberdade, elas não subsistem. Está aí nosso vizinho, a Venezuela, para mostrar isso aí”, afirmou Mourão.

Sobre Carlos Augusto 9528 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).