Mestres Maçons do Grande Oriente Estadual da Bahia elegem Grão-Mestre e Adjunto

Chapa 2, formada por Alexandre Monteiro e Jorvan Andrade, apresenta proposta para modernizar a atuação do GOEB.
Chapa 2, formada por Alexandre Monteiro e Jorvan Andrade, apresenta proposta para modernizar a atuação do GOEB.
Chapa 2, formada por Alexandre Monteiro e Jorvan Andrade, apresenta proposta para modernizar a atuação do GOEB.
Chapa 2, formada por Alexandre Monteiro e Jorvan Andrade, apresenta proposta para modernizar a atuação do GOEB.

Neste sábado (23/03/2019), os Mestres Maçons do Grande Oriente Estadual da Bahia (GOEB) elegem o Grão-Mestre Estadual (GME) e o Grão-Mestre Estadual Adjunto (GMEA). O processo eletivo tem início às 9 e é encerrado às 17 horas. Concorrem ao pleito:

Chapa 01 – Ocimar Torres (p/GME) e Ruy Barbosa (p/GMEA)

Chapa 02 – Alexandre Monteiro (p/GME) e Jorvan Andrade (p/GMEA)

Chapa 03 – Eviládio (p/GME) e Washington Cerqueira (p/GMEA)

Disputa

Sondagens do Jornal Grande Bahia (JGB) indiciam favoritismo da Chapa 2, formada por Alexandre Monteiro e Jorvan Andrade. Durante a campanha, eles apresentaram propostas propositiva, evitaram ataques e buscaram transmitir a ideia de modernização, sem ruptura e com respeito às tradições.

A entidade

O GOEB é federado ao Grande Oriente do Brasil (GOB). A entidade possui 60 anos de fundada, conta com 118 lojas, abrangendo cerca de 300 municípios e possui 2700 Mestres Maçons aptos a votar (Irmãos, membros da fraternidade). Atualmente, a direção da entidade é comanda por Silvio Souza Cardim, Grão-Mestre Estadual.

“A Bahia foi o berço da Maçonaria do Brasil, assim como foi o berço do descobrimento de nossa Pátria amada. A história do Grande Oriente Estadual da Bahia é uma historia de entusiasmo, de estoicismo de humildade, de amor e de tantas outras virtudes, assim como o Brasil, que lutou para transpor as barreiras e se tornar Grande e respeitado, isso só nos honra e nos enche de orgulho. Nenhum patrimônio é tão rico e nenhuma lição é tão bela, quanto a herança que recebemos dos que nos antecederam. Se algum Irmão quiser ser digno de si mesmo, há que ser antes digno dessa herança!”, expressa a entidade maçônica, em página publicada na Internet.

Síntese da proposta da Chapa 1      

Tendo como candidatos os Irmãos Ocimar Torres e o Ir. Ruy Barbosa a chapa 01 volta a concorrer ao Grão Mestrado Estadual da Bahia, repetindo a mesma formula apresentada no passado as propostas foram rejeitada por 03 vezes em eleições anteriores pelo colegiado de mestres do GOEB.

Embora composta por irmãos colaborativos os fundamentos administrativos que se baseiam em apontar erros em vez de soluções desagradou a comunidade maçônica. Tentaram a todo custos convencer de que se trata de uma nova proposta para o GOEB, mas na verdade é uma reedição de um projeto politico pessoal que não condiz com a realidade desejada pela maioria dos irmãos.

Analisando bem o discurso da chapa 01 “O NOVO GOEB SEM RESQUICIO DO CONTINUISMO DO ATRASO, OMISSÃO E DESCASO!! O GOB  APOIA A CHAPA 01 PARA TIRAR O GOEB DO OSTRACISMO E DA UTI QUE SE ENCONTRA.”

Isso demonstra falta de um planejamento estratégico capaz de apontar soluções para o crescimento do GOEB independente e forte.

A proposta de gestão da chapa 01 foi elaborada “de cima para baixo” o que não reflete e nem expressa à opinião participativa dos irmãos sobre temas importantes a considerar principalmente a UNIÃO para o fortalecimento da nossa sublime Ordem.

Portanto a chapa 01 representada pelo Ir. Ocimar está longe de ser o um novo rumo para o GOEB e sim um projeto pessoal (contra Humberto Cedraz) que o derrotou em campanhas eleitorais anteriores. É sem dúvida uma busca cega pelo poder.

Síntese da proposta da Chapa 2

A chapa 02 composta pelos irmãos Alexandre Monteiro e Jorvam Andrade se apresenta diante dos irmãos do Grande Oriente Estadual com respeito e fidelidade aos princípios Maçônicos, dentro de uma visão progressista, sem patriarcas, donos, oportunistas, mas responsável, inovador sem vícios administrativos, fraterno, e com uma visão de futuro.

O objetivo de unir o GOEB em torno de um Plano de Ação que visa integrar e promover a união, valorizando os Irmãos, propondo novas práticas administrativas, fortalecendo a nossa Ordem para influenciar positivamente a sociedade em que vivemos.

O Plano de Gestão integrado União e Inovação está sendo apresentado ás lojas do Grande Oriente Estadual e vem tendo ampla aceitação e participação voluntária de todos os irmãos de várias regiões, isso nos permitiu elaborar propostas reais e identificadas com o perfil da maioria dos irmãos que compõem o GOEB.

Portanto a chapa 02 representa o desejo expresso dos que a apoiam na certeza de que o plano de Gestão começa agora com novas praticas, respeitando os concorrentes e unido todos do Grande Oriente para que juntos possamos tornar este projeto em realidade.

A chapa 02 não carrega o ódio o preconceito e nem erros do passado, até porque o nosso GOEB merece respeito e reconhecimento pela sua história e prestigio nacionalmente. Mesmo tendo apoio do Grão Mestre Estadual, Ir. Silvio Cardim e o Grão Mestre de Honra Ir. Humberto Cedraz o nosso projeto é independente, participativo e fraterno com foco no objetivo maior de   vencermos os interesses pessoais e por fim a discórdia pelo bem do GOEB.

As propostas contidas no Plano de Gestão Integrado da chapa 02 são apresentadas e subdividias em quatro pontos: ADMINISTRAÇÃO – RITUALISTICA – FRATERNIADE E A SOCIEDADE.

Apresentação o Plano: Equilíbrio, Força e União. Estes são os pilares fundamentais para o sucesso deste projeto, subdivido em 4 blocos principais:

1-            Modernização da administração;

2-            Atualização Ritualística;

3-            Fraternidade Corporativa;

4-            Integração da maçonaria com a Sociedade.

1 – MODERNIZAÇÃO DO MODELO DE ADMINISTRAÇÃO

Com a evolução da sociedade e a implantação de novas tecnologias no mundo moderno, se faz necessário uma revisão de procedimentos e a adoção de novas políticas administrativas para transformar o atual modo de administrar, menos burocrático, mais ágil e mais integrado.

Para que isso ocorra precisamos de um:

  • Planejamento estratégico das lojas.
  • Implantar um novo sistema “sem burocracia” com mais tecnologia para o desenvolvimento dos processos.
  • Fazer uma reforma administrativa e apresentar aos novos gestores e lojas o plano de administração a ser implementado em detalhes.
  • Promover a regularização das lojas com adequação ao estatuto regulamentado pelo código civil brasileiro com obrigatoriedade junto à Receita Federal e às prefeituras.
  • Elaboração de censo GOEB – Quem somos, quantos somos e o que queremos ser.
  • Atualização de inventário físico do GOEB.
  • Registrar domínio de Internet e marca de proteção.
  • Criar fundo de apoio para fundação e revitalização de lojas.
  • Dotar as lojas de aparelhos de TI para dinamizar as sessões.
  • Implantar Programa de Avaliação permanente da gestão

2 – ATUALIZAÇÃO RITUALÍSTICA

A atualização ritualística será executada com o objetivo de requalificar o GOEB, promover um maior nível conhecimento aos irmãos, facilitar o acesso aos corpos filosóficos e incentivar o estudo para a formação de verdadeiros líderes, com:

  • Concessão de diplomas para aprendizes, companheiros e mestres, tendo como base a meritocracia.
  • Fortalecimento do relacionamento com corpos filosóficos.
  • Implantação de uma nova metodologia de instrução para formação maçônica.
  • Criação Biblioteca Virtual com sistema EAD.
  • Adoção de novas metodologias de seleção de candidatos.
  • Promoção concursos literários.
  • Formação de grupo de instrução cênica para qualificar os processos de iniciação, elevação e exaltação.
  • Unificação da prática Ritualística respeitando a orientação de cada Rito.

3 – FRATERNIDADE CORPORATIVA

A palavra fraternidade tem um significado ímpar para os irmãos maçons, independente do grau filosófico ou simbólico. Esperamos fazer um movimento amplo para que possamos fazer uma sociedade fraterna, justa e corporativa.

Para isso pretendemos:

  • Manter diálogo permanente com a PAEL.
  • Realizar pesquisa visando detectar motivos da desmotivação e evasão de frequência nas lojas.
  • Firmar tratado de reconhecimento com potências maçônicas.
  • Fortalecer a congresso estadual maçônico do GOEB e apoiar encontros e seminários dos ritos praticados nas lojas do GOEB.
  • Criar fundo de previdência maçônico e firmar convênios com Plano de Saúde.
  • Promover encontro de pais e filhos maçônicos.
  • Criar centro de atendimento e acolhimento ao maçom necessitado.
  • Fazer lançamento no congresso anual maçônico os programas envolvendo a Fraternidade Feminina, APJ, Filhas de Jó e DEMOLAY sob o comando da presidente da FRAFEM, e lideranças das diretorias destas entidades paramaçônicas.

4 – INTEGRAÇÃO DA MAÇONARIA COM A SOCIEDADE

Todas as metas, propostas e objetivos traçados se justificam para modernizar a gestão, qualificar ás lojas, apoiar fraternalmente os irmãos e transformar a sociedade em que vivemos,  isso só será possível se fazermos uma integração maçônica: GOEB – Lojas – Irmãos – Famílias, no intuito de promover uma sociedade mais justa.

Para isso se propõe:

  • Anualmente, durante a realização do Congresso Maçônico, realizaremos o lançamento de campanhas publicitárias com um tema anual de interesse da sociedade e da comunidade maçônica para ser divulgado em todas as lojas.
  • Apoio e disseminação da campanha contra o abuso e a exploração sexual infantil.

“Respeite nossas meninas”.

  • Criação do Museu Maçônico da Bahia.
  • Promover o encontro de líderes empresariais maçônicos.
  • Promover campanha da maçonaria contra a drogas.

Nosso maior objetivo é apresentar um projeto que resgatasse o sentido maior da nossa existência: a União, e reuníssemos a Inovação como uma das ferramentas capazes de modernizar a nossa instituição e torná-la uma referência para a maçonaria brasileira.

A plataforma da CHAPA 02, UNIÃO E INOVAÇÃO, sabe que é preciso fazer uma gestão mais ágil, moderna, participativa e igualitária. Podemos afirmar categoricamente que nosso maior desafio é unir e fortalecer a fraternidade e transformá-la em realidade a partir de Março de 2019.

Síntese da proposta da Chapa 3  

A chapa 03 é o reflexo pratico da CONVÊNIENCIA, OPORTUNISMO E PRATICAS ULTRAPASSADA.  O atual candidato o Ir. Eviládio foi GME/Ajunto por oito anos na gestão do Ir. Silvio Cardim (Grão Mestre em exercício) atuou em várias gestões anteriores ocupando cargos no GOEB, foi Presidente da APAEL, Conselheiro do Grão Mestre Eminente Ir. Silvio Cardim e se nega em ser  solidário pelos atos praticados pela atual gestão. O seu pedido de afastamento do cargo para concorrer ás eleições 2019 foi motivado por pessoas odiosas, vaidosas e desagregadoras que lançaram sua candidatura para satisfazer um plano de vingança pessoal.

Hoje por influência de apenas 03 (três) irmãos se lançou candidato para atacar a atual administração e anteriores pregando o tema CHEGA DA TURMA DO ATRASO.

Integrante por mais de 20 anos da TURMA DO ATRASO O Ir. Eviládio não propôs mudanças significativas que pudessem contribuir para o AVANÇO do GOEB. Os discursos dos seus apoiadores DESTILAM O ODIO E PREGAM A DESUNIÃO, A FALTA DE RESPEITO COM AS AUTORIDADES CONSTITUIDAS SÃO MANIPILADORES DA VERDADE, estando assim longe de representar os anseios da maioria dos irmãos que desejam um GOEB unido e inovador.

A proposta de governo apresentada da chapa 03 é uma coxa de retalhos, burocrático, sem planejamento e sem uma definição clara dos objetivos e propostas para o crescimento o GOEB.

Com um discurso de Avança GOEB constitui-se numa proposta continuísta e vazia.

Portanto, conclui-se que a chapa 03 se coloca no pleito como “mais uma opção” de acomodação para satisfazer a vaidade de alguns que desejam avanço baseado em interesses meramente pessoais dos seus apoiadores.

Chapa 2, formada por Alexandre Monteiro e Jorvan Andrade, apresenta proposta para modernizar a atuação do GOEB.
Chapa 2, formada por Alexandre Monteiro e Jorvan Andrade, apresenta proposta para modernizar a atuação do GOEB.
Sobre Carlos Augusto 9460 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).