Lava Jato da Educação divide população brasileira; Medida foi anunciada pelo pelo presidente Jair Bolsonaro durante Carnaval 2019

Comentário, no Twitter, postado pelo presidente Jair Bolsonaro, sobre problemas no setor da educação.

Comentário, no Twitter, postado pelo presidente Jair Bolsonaro, sobre problemas no setor da educação.

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, anunciou nesta segunda-feira (04/03/2019) a Lava Jato da Educação, citando dinheiro investido na Educação nos anos anteriores ao seu mandato e as “últimas posições” ocupadas pelo Brasil em avaliações educacionais internacionais.

O anúncio da Lava jato da Educação já virou tema no Twitter e está reunindo mais e mais internautas.

De acordo com Jair Bolsonaro, o “Brasil gasta mais em educação em relação ao PIB que a média de países desenvolvidos”. O presidente citou números: “Em 2003 o MEC gastava cerca de R$30bi em Educação e em 2016, gastando quatro vezes mais, chegando a cerca de R$130 bi, ocupa as últimas posições no Programa Internacional de Avaliação de Alunos (PISA).”

Para o presidente, “há algo de muito errado acontecendo: as prioridades a serem ensinadas e os recursos aplicados”. E aproveitou o embalo para anunciar a Lava Jato da Educação.

​Nem mesmo o Carnaval foi capaz de abafar as palavras do presidente, e muitos internautas estão comentando o início de uma Lava Jato dedicada à Educação.

“Joga toda a sujeira no ventilador Meu Presidente! O Brasil precisa saber porque estamos péssimos em educação! Eu apoio a Lava Jato da Educação #LavaJatoNoMec”, comenta internauta Vivi.

​Juliano Medeiros acredita que o anúncio surgiu pela falta de propostas do governo Bolsonaro para a Educação. “Sem propostas pra educação, @jairbolsonaro anuncia em plena segunda de carnaval uma “Lava Jato” da educação. Mostra que não entende os problemas educacionais no Brasil, desrespeita professores e cria a “fake news” do gasto exagerado em educação. Dia 22 precisamos tomar as ruas!”, comenta.

​A “perseguição” começaria pelos professores, escreve internauta. “Quando o presidente miliciano, que formou um ministério de mentirosos sem diploma superior, avisa que vai começar uma “LAVA JATO DA EDUCAÇÃO”… deixa claro por onde começará a perseguição PELOS PROFESSORES! Depois prenderão os alunos que se reunirem para protestar.”, disse Iuri K no Twitter.

​Erika Kokay fala sobre a “cruzada ideológica”. “Bolsonaro acaba de eleger a educação, estudantes e professores como inimigos da Nação ao criar a Lava Jato da Educação. Em uma cruzada ideológica, o governo quer asfixiar a resistência aos seus desmandos. Sabe da potência transformadora da educação crítica e livre”, afirmou.

​A Lava Jato da Educação foi anunciada pelo presidente, como ele mesmo escreveu, “para o bem de nosso país”. Jair Bolsonaro acredita que uma “máquina” esteja sendo usada para manter algo que desinteressa o Brasil. Para cortar essa “máquina”, o Ministério da Educação, o Ministério da Justiça, a Polícia Federal, a Advocacia e Controladora Geral da União criaram a Lava Jato da Educação.

*Com informações da Sputnik Brasil.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).