Ex-presidente Lula e filho são indiciados pela PF por tráfico de influência e lavagem de dinheiro; Investigação teve início após delação do ex-diretor da Odebrecht Alexandrino Alencar

Luiz Inácio Lula da Silva (PT/SP), ex-presidente da República.
Luiz Inácio Lula da Silva (PT/SP), ex-presidente da República.

A Polícia Federal (PF) indiciou o ex-presidente Lula e seu filho Luís Cláudio Lula da Silva por suspeita de lavagem de dinheiro e tráfico de influência. A empresa Touchdown, que pertence ao filho de Lula, teria recebido pagamentos que chegariam a R$ 10 milhões, apesar de seu capital social ser de apenas R$ 1 mil.

A investigação foi motivada pela delação do ex-diretor da Odebrecht Alexandrino Alencar. Em sua delação, Alencar informou que Lula manteve contato com a empreiteira para beneficiá-la no governo Dilma Rousseff. Em troca, a empresa ficaria responsável por financiar projetos pessoais de seu filho.

O caso está sendo analisado pela Lava Jato, em São Paulo. A juíza Bárbara de Lima Issepi, da 4ª Vara Criminal Federal de São Paulo, determinou que a investigação seja encaminhada para uma vara especializada em crimes financeiros.

Nota da defesa de Lula sobre indiciamento da PF

O relatório produzido pela autoridade policial não tem qualquer implicação processual e muito menos afasta a garantia constitucional da presunção de inocência em favor do ex-Presidente Lula e de seu filho Luis Claudio.

Trata-se de mero documento opinativo, com enorme fragilidade jurídica e distanciamento da realidade dos fatos, que dá sequência ao “lawfare” praticado contra Lula e seus familiares.

Lula jamais solicitou ou recebeu, para si ou para terceiros, qualquer valor da Odebrecht ou de outra empresa a pretexto de influir em ato da ex-Presidente Dilma Rousseff ou de qualquer outro agente público. Tampouco teve qualquer atuação nas atividades da TOUCHDOWN, empresa de titularidade de seu filho Luis Claudio que organizava um campeonato nacional de futebol americano.

Luis Claudio, por seu turno, comprovou serem mentirosas as afirmações de delatores da Odebrecht. A empreiteira jamais suportou os custos de fornecedores da TOUCHDOWN. Especificamente no caso do grupo CONCEPT, referido por tais delatores, Luis Claudio apresentou o contrato de prestação de serviços firmado com a TOUCHDOWN e comprovou ter feito todos os pagamentos dos honorários contratados e das despesas incorridas durante a prestação dos serviços.

Espera-se que o Ministério Público Federal de São Paulo, a quem cabe a análise do material, siga a lei e encerre o caso em relação ao ex-Presidente Lula e a Luis Cláudio, tendo em vista que eles não praticaram qualquer ato ilícito.

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 105484 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]