Datafolha: 87% dos cariocas têm medo de serem assassinados; 74% dos entrevistados disseram também ter medo de ser vítima de violência por parte de policiais militares

Militares realizam operação na favela da Rocinha, no Rio de Janeiro, após guerra entre quadrilhas rivais de traficantes pelo controle da área, em 29 de abril de 2016.Militares realizam operação na favela da Rocinha, no Rio de Janeiro, após guerra entre quadrilhas rivais de traficantes pelo controle da área.
Militares realizam operação na favela da Rocinha, no Rio de Janeiro, após guerra entre quadrilhas rivais de traficantes pelo controle da área, em 29 de abril de 2016.

Militares realizam operação na favela da Rocinha, no Rio de Janeiro, após guerra entre quadrilhas rivais de traficantes pelo controle da área.

O Datafolha divulgou uma pesquisa nesta semana que mostra que 87% dos moradores do Rio têm medo de morrerem assassinados. O instituto entrevistou 843 pessoas entre os dias 23 e 25 de janeiro na capital carioca. O levantamento foi feito a pedido do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Entre os entrevistados, 36% informaram ser moradores de comunidades. Nesse recorte, 29% afirmaram ter mais medo das milícias e 25% disseram ter mais medo de traficantes. Entre os que não moram em comunidades, 39% informaram temer mais os traficantes e 26% disseram ter mais medo das milícias. Outro dado que chama a atenção é o que aponta que 74% dos entrevistados dizem ter medo de sofrer violência por parte de policiais militares.

Ainda segundo o levantamento, 73% dos entrevistados se mostraram favoráveis à intervenção militar no Rio de Janeiro. O índice, no entanto, é o pior desde outubro de 2017. Outros 20% se mostraram contra a intervenção. Esse foi a maior taxa de rejeição entre as datas pesquisadas pelo Datafolha.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Redação do Jornal Grande Bahia
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]