Ministro Gustavo Bebianno, que coordenou a campanha de Jair Bolsonaro (PSL), liberou R$ 250 mil de verba eleitoral para campanha de candidata laranja nas Eleições 2018

Publicidade

Banner da Gujão: Campanha com o tema ‘Tudo fresquinho é melhor’, veiculada em 3 de junho de 2022.
Gustavo Bebianno Rocha, ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República.
Gustavo Bebianno Rocha, ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República.
Gustavo Bebianno Rocha, ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República.
Gustavo Bebianno Rocha, ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República.

As laranjas não param de surgir no desgoverno de Jair Bolsonaro (PSL). Depois de Fabrício Queiroz e das candidatas de fachada do presidente do PSL, Luciano Bivar, e do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antonio, o jornal Folha de S.Paulo descobriu mais um esquema, nas Eleições 2018, de desvio de verba pública do fundo eleitoral.

Desta vez o responsável pela maracutaia foi o Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno (PSL). Então coordenador da campanha presidencial de Bolsonaro, Bebianno, que presidia a sigla em 2018, liberou R$ 250 mil de dinheiro público para a campanha de uma ex-assessora. Assim como no caso do atual presidente do PSL, Luciano Bivar, os recursos eleitorais foram repassados para a gráfica Itapissu, em Recife, que, segundo a Folha, não possui nenhuma máquina de impressão.

Érika Siqueira Santos, que trabalhou como assessora do partido diretamente com Bebianno até agosto, foi candidata a deputada estadual em Pernambuco e teve apenas 1.315 votos. Apesar da pouca votação e destaque na campanha eleitoral do PSL, a ex-assessora foi a oitava pessoa que mais recebeu dinheiro do PSL nacional em todo o país. Santos declarou à Justiça Eleitoral ter gasto R$ 56,5 mil na gráfica Itapissu, para a impressão de material de campanha, no dia 6 de outubro, um dia antes da eleição.

A suposta gráfica é a mesma usada pela também candidata laranja Maria de Lourdes Paixão, que diz ter repassado R$ 380 mil. Ela recebeu da sigla R$ 400 mil de verba pública, com repasse autorizado por Bebianno, que presidia o PSL na ocasião. A Folha visitou os endereços que constam da nota fiscal e na Receita Federal e constatou que não há sinais de que a Itapissu tenha funcionado nos locais durante as Eleições 2018.

Ainda de acordo com a reportagem, a ex-assessora de Bebianno também foi escolhida candidata de última hora para a disputa de 2018, na convenção do PSL, que ocorreu em 7 de agosto. Consta na ata da reunião da sigla que Santos foi colocada para preencher vagas remanescentes da cota de gênero —a regra exige que pelo menos 30% das vagas de candidatos sejam ocupadas por mulheres.

Investigação e impugnação

A Polícia Federal intimou, nesta terça-feira (12),  a candidata laranja Maria de Lourdes Paixão a prestar depoimento. A oitiva está marcada para às 11h desta quinta-feira (14), na sede da superintendência da PF no Recife. A Polícia Civil de Pernambuco comunicou que instaurou inquérito para apurar as informações publicadas pela Folha.

Na terça-feira (12), a Procuradoria Regional Eleitoral em Pernambuco informou que propôs ação de impugnação de contas eleitorais contra Maria de Lourdes.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 123215 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.