Coordenador Médico do SAMU de Feira de Santana emite nota afirmando que “em nenhum momento aventou-se a hipótese de greve ou qualquer tipo de paralisação”

Logomarca do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU).
Logomarca do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU)
Coordenador Médico SAMU de Feira de Santana emite nota negando greve ou paralisação dos serviços.
Coordenador Médico SAMU de Feira de Santana emite nota negando greve ou paralisação dos serviços.

O Coordenador Médico do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) de Feira de Santana, Gilberto Augusto Vacarezza Júnior, encaminhou nota — na quinta-feira (31/01/2019), ao Jornal Grande Bahia (JGB) — contestando informações veiculadas na imprensa sobre greve ou paralisação dos serviços médicos.

“Em nenhum momento aventou-se a hipótese de greve ou qualquer tipo de paralisação. Por isso considero a notícia uma surpresa, que não encontra respaldo em nenhum momento de discussão oficial (assembleia, reunião de trabalho etc.) do grupo médico”, disse Gilberto Vacarezza.

Confira nota de esclarecimento

Em relação a rumores repercutidos na imprensa, referentes a uma hipotética paralisação dos médicos do SAMU venho prestar alguns esclarecimentos.

A coordenação médica deste serviço vem dialogando, em conjunto com a coordenadora Geral Maiza Macedo, com a equipe médica e os representantes da Secretaria de Saúde referente a pautas de interesse da categoria médica, buscando estabelecer uma intermediação baseada na ética e nos valores democráticos.

Em nenhum momento aventou-se a hipótese de greve ou qualquer tipo de paralisação. Por isso considero a notícia uma surpresa, que não encontra respaldo em nenhum momento de discussão oficial (assembleia, reunião de trabalho etc.) do grupo médico.

Ao tomar conhecimento de que haveria um documento da “equipe médica do SAMU” ameaçando uma paralisação, busquei informações com alguns colegas e vários me informaram que não se sentem representados pelo documento, que também não contem a assinatura de todos esses médicos que o comunicado informa representar.

Não desqualifico a busca de melhorias para o serviço, muito menos a importância da categoria médica para o SAMU, mas não posso deixar de expressar minha discordância com a forma abrupta como esse assunto foi tratado por alguns, ameaçando paralisação de um serviço essencial, que tem como meta principal salvar vidas.

Ratificamos nosso compromisso com o SAMU e com o Sistema Único de Saúde. Estamos abertos, sempre, ao diálogo, para buscar o melhor entendimento.

Adotaremos todas as medidas que estejam ao nosso alcance para que o serviço mantenha sua normalidade. Coloco-me à disposição para esclarecimentos adicionais.

Gilberto Augusto Vacarezza Júnior

Coordenador Médico SAMU de Feira de Santana

Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9168 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).