Com 42 votos, Davi Alcolumbre assume o Senado prometendo fim do ‘segredismo’

David Samuel Alcolumbre Tobelem (Davi Alcolumbre) (DEM) é senador pelo Amapá, no biênio 2019-2020, preside o Senado e o Congresso Nacional do Brasil. Foi vereador em Macapá de 2001 a 2003 quando ainda era filiado ao Partido Democrático Trabalhista.
David Samuel Alcolumbre Tobelem (Davi Alcolumbre) (DEM) é senador pelo Amapá, no biênio 2019-2020, preside o Senado e o Congresso Nacional do Brasil. Foi vereador em Macapá de 2001 a 2003 quando ainda era filiado ao Partido Democrático Trabalhista.
David Samuel Alcolumbre Tobelem (Davi Alcolumbre) (DEM) é senador pelo Amapá, no biênio 2019-2020, preside o Senado e o Congresso Nacional do Brasil. Foi vereador em Macapá de 2001 a 2003 quando ainda era filiado ao Partido Democrático Trabalhista.
David Samuel Alcolumbre Tobelem (Davi Alcolumbre) (DEM) é senador pelo Amapá, no biênio 2019-2020, preside o Senado e o Congresso Nacional do Brasil. Foi vereador em Macapá de 2001 a 2003 quando ainda era filiado ao Partido Democrático Trabalhista.

O senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) foi empossado como presidente do Senado Federal neste sábado (02/02/2019) e prometeu trabalhar pelo fim do voto secreto nas deliberações da Casa. O novo chefe do Poder Legislativo garantiu que valorizará a transparência em todas as práticas do Congresso Nacional.

— No que depender da minha condução, esta será a derradeira sessão do “segredismo”, do conforto enganoso do voto secreto. Não devemos temer a crítica das ruas: devemos ouvi-la com atenção e acolhê-la com humildade.

Alcolumbre assegurou que promoverá a “democratização do processo legislativo” no Senado, garantindo que todos os senadores sejam tratados de forma igualitária. Ele afirmou que irá dividir a responsabilidade de comandar a Casa com os demais colegas e pediu o apoio de todos na função.

— Precisamos reunificar o Senado em torno do que lhe deve ser mais caro: a República e o interesse público.

O novo presidente citou as reformas políticas e econômicas que o Congresso deverá votar nos próximos meses, classificando-as como assuntos de urgência para o futuro do país.

— Teremos grandeza e espírito público. Não podemos nos dar ao luxo de falhar.

Diálogo

Após duas sessões atribuladas para a eleição do novo presidente, Alcolumbre procurou adotar uma posição agregadora. Ele cumprimentou nominalmente todos os demais candidatos na eleição: Esperidião Amin (PP-SC), Angelo Coronel (PSD-BA), Reguffe (sem partido-DF), Renan Calheiros (MDB-AL) e Fernando Collor (Pros-AL).

O novo presidente assegurou que não levará as discordâncias do processo eleitoral para a sua gestão à frente do Senado.

— A condição de adversário é passageira, e permanentes são as instituições. Não conduzirei um Senado de revanchismo. Meus adversários terão de minha parte disposição para o diálogo, cooperação e deferência.

Alcolumbre também agradeceu aos senadores que retiraram seus nomes da disputa para apoiá-lo: Alvaro Dias (Pode-PR), Major Olimpio (PSL-SP) e Simone Tebet (MDB-MS). Ele também agradeceu a Tasso Jereissati (PSDB-CE), que desistiu de se candidatar.

Cumprimentos

Depois da eleição, Davi Alcolumbre foi parabenizado pelos seguintes senadores:

Angelo Coronel (PSD-BA)

Esperidião Amin (PP-SC)

Jorge Kajuru (PSB-GO)

Carlos Viana (PSD-MG)

Humberto Costa (PT-PE)

Marcos Rogério (DEM-RO)

Otto Alencar (PSD-BA)

Eduardo Girão (Pros-CE)

Randolfe Rodrigues (Rede-AP)

Luiz Carlos Heinze (PP-RS)

Zequinha Marinho (PSC-PA)

Lasier Martins (PSD-RS)

Arolde de Oliveira (PSD-RJ)

Eliziane Gama (PPS-MA)

Nelsinho Trad (PSD-MS)

Reguffe (sem partido-DF)

Jorginho Mello (PR-SC)

Lucas Barreto (PSD-AP)

*Com informações da Agência Senado.

Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9162 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).