Secretário-geral das Nações Unidas chama o mundo para inverter situação que pode ser “receita para desastre”

Secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, no Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça, ao lado do Presidente do Fórum, Børge Brende.
Secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, no Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça, ao lado do Presidente do Fórum, Børge Brende.
Secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, no Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça, ao lado do Presidente do Fórum, Børge Brende.
Secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, no Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça, ao lado do Presidente do Fórum, Børge Brende.

O secretário-geral das Nações Unidas fez a sua declaração nesta quinta-feira no Fórum Econômico Mundial de Davos, na Suíça, onde começou traçando a situação global.

António Guterres disse que pode caracterizar o estado do mundo com desafios globais cada vez mais integrados e respostas cada vez mais fragmentadas. Para o chefe da ONU, se essa situação não for invertida é uma “receita para o desastre”.

Riscos

Em relação à economia global, o secretário-geral destacou que esta é marcada pelo “abrandamento, nuvens escuras e riscos no horizonte”. Sobre como esses fatores se relacionam, ele disse que as tensões comerciais têm essencialmente conexão com a tensão política.

O chefe da ONU acrescentou que a questão da dívida limita a capacidade dos países de responderem às crises e alcançarem os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, ODSs. Ele destacou ainda que “os sistemas políticos não sabem exatamente o que fazer”.

Guterres voltou a alertar que o mundo está “perdendo a corrida” em relação à mudança climática. O representante apelou aos governos que assumam compromissos mais arrojados, para além do Acordo de Paris.

Mudança Climática

Guterres destacou que a mudança climática é a questão que define o nosso tempo sendo “absolutamente fundamental reverter essa tendência”.

Depois da COP24, realizada em dezembro na Polônia, onde foi adotado o Plano de Implementação do Acordo de Paris, Guterres disse que “não estava esperançoso” que as nações encontrassem a determinação necessária para avançar.

Segundo o secretário-geral, “é preciso vontade política e que governos entendam que essa é a prioridade mais importante de nossos tempos”.

Guterres também destacou o tema numa transmissão ao vivo do Facebook, dizendo que os compromissos assumidos em Paris já são suficientes e “se o que foi concordado fosse materializado, a temperatura subiria mais de 3 graus Celsius. ”

Globalização

O chefe da ONU disse é preciso que os países assumam compromissos mais fortes em relação às alterações climáticas e pediu mais medidas para mitigação, adaptação e ajuda financeira para os países mais pobres.

Na declaração durante o Fórum, ele também destacou temas como a globalização e o aumento das desigualdades “mesmo dentro dos países”. Para o chefe da ONU, os efeitos dessa situação incluem a redução de confiança nas instituições.

Guterres falou ainda da desigualdade no crescimento econômico e a estagnação da expansão per capita dos países em desenvolvimento. Ele alertou que a desigualdade é o fator que aumenta os conflitos.

Para o secretário-geral, o mundo enfrenta uma multiplicação de conflitos e ainda não é multipolar.

*Com informações da ONU News.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 112582 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]