Perfil de padre Abel Pinheiro, pároco da Igreja do Santíssimo Sacramento e Sant’Ana, em Salvador

José Abel Carvalho Pinheiro (Padre Abel Pinheiro)
Governador Rui Costa, José Abel Carvalho Pinheiro (Padre Abel Pinheiro) e Aline Peixoto, primeira-dama.
José Abel Carvalho Pinheiro (Padre Abel Pinheiro) celebra missa na Igreja do Santíssimo Sacramento e Sant'Ana, com a presença do governador Rui Costa e da primeira-dama Aline Peixoto.
José Abel Carvalho Pinheiro (Padre Abel Pinheiro) celebra missa na Igreja do Santíssimo Sacramento e Sant’Ana, com a presença do governador Rui Costa e da primeira-dama Aline Peixoto.
José Abel Carvalho Pinheiro (Padre Abel Pinheiro)
Governador Rui Costa, José Abel Carvalho Pinheiro (Padre Abel Pinheiro) e Aline Peixoto, primeira-dama.

José Abel Carvalho Pinheiro (Padre Abel Pinheiro) nasceu em 19.12.1956 em Lamarão (BA) e foi batizado em 25.12.1957 por Monsenhor Demócrito Mendes de Barros, que no futuro seria também seu padrinho de ordenação, desatando suas mãos ungidas.

Em 1975, após participar de um Cursilho da Cristandade, aceitou o chamado de Deus para ser sacerdote. Iniciou seus estudos religiosos em 30.11 1975 no Seminário dos Padres Capuchinhos, no Convento Nossa Senhora da Piedade, em Salvador (BA).

Em 10.02.1978 ingressou no Seminário Central da Bahia, em Salvador (BA). Em 29.06.1980 tornou-se Diácono, pelas mãos de Dom Silvério Albuquerque. No mesmo ano completou os cursos de Licenciatura em Filosofia e Bacharelado em Teologia, ambos na UCSAL – Universidade Católica de Salvador (15.08 e 9.12 respectivamente).

Em 1 de fevereiro 1981 recebeu o Sacramento da Ordem do Presbiterato, na Catedral de Sant’Ana, em Feira de Sant’Ana (Ba), cerimônia realizada por Dom Silvério Jarbas Paulo de Albuquerque e 15 dias depois celebrou sua primeira Missa em sua cidade natal, Lamarão. No mesmo mês foi provisionado como Vigário-cooperador da Paróquia Senhor dos Passos, com atuação nas Paróquias anexas de Humildes e Gameleira.

Em agosto desse mesmo ano deixou a condição de Vigário-cooperador e foi enviado a Roma para estudar Teologia Dogmática, afim de obter o título de mestre na Pontifícia Universidade Santo Tomás de Aquino, passando então a residir no Pontifício Colégio Pio Brasileiro. Nessa ocasião pode conhecer e auxiliar pastoralmente em paróquias da própria Itália e na Suíça. Ocasião que também lhe propiciou diversos contatos, em Missas e Audiências, com o hoje Santo, Papa João Paulo II.

Em 7 de junho de 1983, concluiu seu Mestrado em Teologia Dogmática pela Pontifícia Studiorum Universitas A.S. Thoma Aq, in Urbe, grau Summa cum Laude (Roma-Itália).

Voltando para Feira de Santana, em 20.10.1983 foi designado Vigário Substituto na Paróquia de Santo Antônio Tanquinho (Ba)).  Posteriormente trabalhou como Pároco em várias cidades. Tanquinho, Candeal, Irará (onde foi Pároco durante 11 anos e revitalizou as comunidades rurais), Santanópolis, Ouriçangas, Água Fria, construindo, com a participação das comunidades, 13 Capelas, 2 Abrigos para idosos, 1 Velório, 1 Posto Médico, entre outras realizações.

Foi Professor do Instituto de Teologia da UCSal (Março 1986) e Diretor dos Seminaristas da Diocese de Feira de Santana (julho 1986.) Exerceu também o cargo de Vice-Reitor do Seminário Central da Bahia (10.02.1988 até 1992).

Em fevereiro de 1994 foi nomeado Reitor do Seminário Santana Mestra localizado em Salvador (Ba). Em 1.12.1994 foi nomeado Ecônomo da Diocese de Feira de Santana (Ba). Em 22.04.1995 Pároco da Catedral Senhora Sant’Ana,(cargos esses que ocupou até 19.12.2004).

De 24 a 25.05.1996 realizou o 1º Encontro de Casais com Cristo da Catedral de Senhora Sant’Ana

Seu ¨pendor administrativo”, já salientado por seu professor Monsenhor Walter Jorge Pinto de Andrade, que o conheceu numa sala de aula do Instituto de Teologia da Universidade Católica de Salvador, voltou a se manifestar em sua passagem por Feira de Santana (Ba).

Na função de Ecônomo coube-lhe administrar as obras da edificação da Faculdade Arquidiocesana de Feira de Santana e o Seminário Sant’Ana Mestra, ambas inauguradas em 6.03.2004

Assim se refere a Padre Abel. Dom Itamar Viana, Arcebispo Metropolitano de Feira de Santana, na época:

“Em 1995, chegando a Feira de Santana, imprime a marca que o faz corajoso e sempre mais dedicado à Igreja. Começa com uma total reforma da Casa Paroquial e da Igreja Catedral; reforma um imóvel da Arquidiocese, criando lojas para alugueis como fim de manter os seminaristas; reforma as casas do Centro de Formação. Num desafio gigantesco, constrói o Centro Paroquial Senhora Sant’Ana e mais duas obras, o Seminário Sant’Ana Mestra e a Faculdade Arquidiocesana de Teologia. Com uma organização invejável, durante 10 anos, trabalhou ao meu lado nos serviços acima citados e em três viagens a cinco países, procurando recursos para paróquias e Arquidiocese. ”

Deixou as funções de Ecônomo e Pároco da Catedral de Feira de Santana (Ba) no final de 2004, quando foi acolhido pela Arquidiocese de Belo Horizonte, onde exerceu diversas e importantes atividades (Colegiado de Padres para Assuntos de Economia e Administração; Conselheiro de Economia; Superintendente da Fumarc; Conselho Curador da Fundação Hospitalar N;S. de Lourdes; Vigário Paroquial da Paróquia de Santa Helena.

Em 2006 é designado para a Paróquia do Santíssimo Sacramento e Santana (Salvador-BA), inicialmente como Administrador Paroquial, mas ainda incardinado à Diocese de Feira de Santana. Assim permaneceu por alguns meses, diante de uma opção que teria de fazer: voltar à Feira de Santana ou permanecerem Salvador enfrentar o desafio que era Paróquia do SS. Sacramento e Sant’Ana. Decidiu então desincardinar-se da Diocese de Feira, e assumir de vez a nova Paróquia. Foi então provisionado definitivamente na Paróquia, desta vez como Pároco.

Assumir a Paróquia, enferma de ânimo e incerta do futuro significava aceitar dois grandes desafios: reerguer o ânimo paroquial e sua alta estima e reerguer a Igreja Matriz, em estado absolutamente precário.

Desenvolveu então um esforço incansável, um uso persistente de toda a sua criatividade, administrando com maestria, perseverança e mesmo teimosia, os projetos de restauração, e a aquisição de outros espaços visando o futuro material da Paróquia, sem nunca perder de vista o empenho no crescimento espiritual da comunidade.

Não teve ano, que sua engenhosidade não se tivesse manifestado, apresentando algo novo pastoralmente, que pudesse mobilizar todos os paroquianos.Sua ação administrativa nunca se afastou da preocupação de fazer com que as providências de ordem material viessem redundar em suporte ao crescimento da espiritualidade.

Envolvendo a comunidade paroquial em todas as ações, desde sua chegada, conseguiu reanima-la e conduzi-la a um enorme esforço conjunto visando a restauração da Igreja Matriz. Foram diversas as ações sendo que muitas delas propiciaram a restauração de telhado, altares, objetos sacros, com recursos próprios, independentemente dos recursos obtidos posteriormente por Instituições Oficiais.

Repetindo seu dinamismo, já demonstrado na Diocese de Feira, fez acontecer diversas providências de ordem administrativas, que resultou em um mais eficiente uso dos bens imobiliários que encontrou, inclusive ampliando-os com o uso de recursos oriundos da própria comunidade. Entre outras ações destaque-se:

Venda da Casa Paroquial (que se encontrava em lastimável estado), e consequente compra de um apartamento, procedendo-se a seguir uma reforma geral desse imóvel

Reforma numa casa da Paróquia, na Rua do Carro, adaptando-a para funcionar como “Casa de Apoio Padre Luna” para abrigar a assistência médica oferecida pela Paróquia no “Centro Comunitário Padre Luna”, liberando esse prédio que estava sendo subutilizado para aluguel à Secretaria de Saúde do Município, gerando receita.

Aquisição de área, na Rua do Carro, defronte a Igreja, sendo edificado um prédio para funcionar o Brechó de Santana (térreo) e a Secretaria Paroquial (1º andar). Posteriormente esses setores foram transferidos para funcionar na própria Matriz de Santana, liberando o prédio para aluguel e consequentemente criando nova fonte de receita.

Casa em terreno defronte à Laquê Santana (demolida). Área para possível construção no futuro a um conjunto a ser anexado ao Centro Comunitário Padre Luna e, por enquanto, sendo utilizado como estacionamento.

Casa na Ladeira de Santana. Após reformada abrigou durante algum tempo a Secretaria Paroquial Brechó, Sala da Tesouraria e Administração Paroquial. Com a transferência desses setores para a Igreja Matriz, foi alugada à Secretaria de Educação Municipal, que pretende utiliza-la para ampliação da Escola Paroquial de Santana. Mais uma fonte de receita.

Dois terrenos contíguos na Rua do Carro, para projetos futuros.

Assim, os numerosos eventos realizados com o apoio firme da comunidade paroquial, possibilitou não somente uma ampliação patrimonial, como também assegurou uma boa receita mensal para a Paróquia.

O afinco e dinamismo que desenvolveu para o sucesso do projeto de restauração, denominado “Salve Santana” chamou a atenção da comunidade soteropolitana e no dia 4.09.2012, por iniciativa do Presidente da Câmara de Vereadores, Sr. Pedro Godinho, lhe foi concedido o título de “Cidadão de Salvador”.

Paralelamente às suas atividades paroquiais, Pe. Abel também desenvolveu ações junto à “Casa do Padre” e na reforma da Igreja São Pedro dos Clérigos.

Por fim, em julho de 2017, em paralelo com as festividades da Padroeira Senhora Sant’Ana, Padre Abel viu seu imenso esforço coroado. Conclusão das obras da restauração e Igreja Matriz reinaugurada após quase 11 anos de luta.

*Com informações da Arquidiocese de Salvador.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 115088 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.