Direção do Posto de Combustível Amaralina contesta matéria do JGB e diz que construção do empreendimento obedeceu a legislação municipal de Feira de Santana e normas técnicas do setor

Edificações do Posto Amaralina. Empreendimento fica situado na Avenida Amaralina, próximo à Avenida Ipanema, no Bairro Gabriela, em Feira de Santana. Proprietário esclarece que edificação obedeceu ao licenciamento municipal e normas técnicas.Edificações do Posto Amaralina. Empreendimento fica situado na Avenida Amaralina, próximo à Avenida Ipanema, no Bairro Gabriela, em Feira de Santana. Proprietário esclarece que edificação obedeceu ao licenciamento municipal e normas técnicas.
Edificações do Posto Amaralina. Empreendimento fica situado na Avenida Amaralina, próximo à Avenida Ipanema, no Bairro Gabriela, em Feira de Santana. Proprietário esclarece que edificação obedeceu ao licenciamento municipal e normas técnicas.

Edificações do Posto Amaralina. Empreendimento fica situado na Avenida Amaralina, próximo à Avenida Ipanema, no Bairro Gabriela, em Feira de Santana. Proprietário esclarece que edificação obedeceu ao licenciamento municipal e normas técnicas.

O empresário e engenheiro Carlos Andrade, proprietário do Posto de Combustível Amaralina, acompanhado do economista Rock Gomes, profissional responsável pela assessoria econômica do empreendimento, esteve nesta quarta-feira (22/01/2019) na redação do Jornal Grande Bahia (JGB) com a finalidade de prestar esclarecimento e contestar, com base no direito de resposta, a reportagem, veiculada na terça-feira (22), com título ‘Denúncia aponta para grave irregularidade na liberação do licenciamento para construção de postos de combustível em Feira de Santana’.

O empreendimento do Posto Amaralina está em fase de conclusão. Ele fica situado na Avenida Amaralina, próximo à Avenida Ipanema, no Bairro Gabriela, em Feira de Santana. Observa-se que a parte de abastecimento dos veículos ocorre sobre uma laje suspensa sobre edificação, cujo nível do solo se situa em nível inferior ao da avenida, ou seja, ao nível da Rua Engenheiro Humberto Maia. Sendo necessária a construção de uma estrutura de aço e concreto para nivelar, com a Avenida Amaralina, o acesso ao conjunto de bombas de combustível de abastecimento de veículos automotores, além de viabilizar o acesso aos demais serviços e produtos ofertados. Observa-se, também que a legislação municipal de Feira de Santana é omissa com relação a este tipo de edificação de posto de combustível.

É sobre o empreendimento do Posto Amaralina e os questionamentos apresentados por fontes do Jornal Grande Bahia que o empresário Carlos Andrade apresenta o seguinte esclarecimento:

— O projeto do empreendimento Posto Amaralina foi apresentado à Prefeitura de Feira de Santana, nos setores de meio ambiente e uso e ocupação do solo, além de Corpo de Bombeiro, e foi aprovado em todos os setores. Durante o processo de licenciamento ocorreu amplo debate sobre a construção do posto sobre laje, cujo projeto estrutural foi devidamente calculado por um grande escritório de arquitetura de Feira de Santana, inclusive, a estrutura foi amplamente testada, com uso de caminhão betoneira de 20 mil quilos, carregado com concreto. O caminhão parava sobre a laje para testar a estrutura e ficou evidenciada a estabilidade estrutural. Não ocorrendo nenhum perigo da estrutura ser instável.

— Na parte ambiental, a Prefeitura de Feira de Santana enviou os técnicos coma finalidade de averiguar a existência de igrejas nas proximidades. Captamos a existência de igrejas em avenida adjacente, cuja distância foi aferida pelos técnicos do governo municipal. Eles constataram que as igrejas estavam nos parâmetros de distância estabelecido pela Lei Municipal. Na oportunidade ocorreu, também, inspeção do Corpo de Bombeiros e tudo foi aprovado, conforme legislação local.

— Com relação as especificações da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) para construção de postos de combustível, foram atendidas as especificações técnicas. Existem, em outras partes do Brasil, exemplos de postos de combustível construídos sobre laje, inclusive, existem postos marítimos, situados em navios, que contam com equipamento de monitoramento. Neste aspecto, o Posto Amaralina terá um equipamento eletrônico para monitoramento de vazamentos. O tanque de combustível fica situado acima do solo. Caso ocorra algum vazamento ou infiltração, além do monitoramento feito com equipamento eletrônico, o tanque conta com uma caixa blindada de concreto, executada de acordo com o projeto aprovado pela prefeitura.

— Ao apresentar as informações, esperamos que o assunto esclareça o mal-entendido. Caso o jornal deseje receber, podemos enviar a documentação do posto, com todos os licenciamentos aprovados.

Leia +

Denúncia aponta para grave irregularidade na liberação do licenciamento para construção de postos de combustível em Feira de Santana

Direção do Posto de Combustível Amaralina contesta matéria do JGB e diz que construção do empreendimento obedeceu a legislação municipal de Feira de Santana e normas técnicas do setor

Departamento de Uso e Ocupação do Solo esclarece sobre denúncia de supostas irregularidades na licença para construção de postos de combustível em Feira de Santana

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).