Cesare Battisti ficará sozinho em cela de alta segurança por seis meses

Cesare Battisti é um italiano ex-membro do Proletários Armados pelo Comunismo, um grupo militante e terrorista de extrema-esquerda que cometeu atos ilegais na Itália durante o período conhecido como Anos de Chumbo. Foi condenado à prisão perpétua na Itália por quatro homicídios.
Cesare Battisti é um italiano ex-membro do Proletários Armados pelo Comunismo, um grupo militante e terrorista de extrema-esquerda que cometeu atos ilegais na Itália durante o período conhecido como Anos de Chumbo. Foi condenado à prisão perpétua na Itália por quatro homicídios.
Cesare Battisti é um italiano ex-membro do Proletários Armados pelo Comunismo, um grupo militante e terrorista de extrema-esquerda que cometeu atos ilegais na Itália durante o período conhecido como Anos de Chumbo. Foi condenado à prisão perpétua na Itália por quatro homicídios.
Cesare Battisti é um italiano ex-membro do Proletários Armados pelo Comunismo, um grupo militante e terrorista de extrema-esquerda que cometeu atos ilegais na Itália durante o período conhecido como Anos de Chumbo. Foi condenado à prisão perpétua na Itália por quatro homicídios.

O italiano Cesare Battisti, 64 anos, vai cumprir pena na prisão de Rebibbia, em Roma, numa cela sozinho, em área de alta segurança reservada a terroristas e em regime de isolamento por um período de seis meses.

Battisti chegou hoje (14/01/2019) ao Aeroporto de Roma Ciampino, na capital italiana. Vestindo calça jeans e uma jaqueta marrom, ele desceu do avião sem algemas e foi recebido por agentes do grupo operacional móvel da polícia penitenciária.

O italiano foi capturado no último sábado (12) nas ruas de Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, por agentes bolivianos em parceria com italianos. Segundo um vídeo feito no momento da prisão, ele usava barba, óculos de sol, jeans e camiseta azul. Não mostrou resistência, não apresentou documentos e respondeu a algumas perguntas em português.

Condenado à prisão perpétua na Itália, Battisti foi sentenciado pelo assassinato de quatro pessoas na década de 1970, quando integrava o grupo Proletários Armados pelo Comunismo, um braço das Brigadas Vermelhas. Ele se diz inocente. Para as autoridades brasileiras, é considerado terrorista.

No Brasil desde 2004, o italiano foi preso três anos depois. O governo da Itália pediu sua extradição, aceita pelo Supremo Tribunal Federal. Contudo, no último dia de seu mandato, em dezembro de 2010, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidiu que Battisti deveria ficar no Brasil, e o ato foi confirmado pela Suprema Corte.

Premiê da Itália agradece apoio de Bolsonaro para captura de Battisti

O primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, disse no domingo (13) ter conversado por telefone com o presidente Jair Bolsonaro. Na conversa, Conte agradeceu o apoio prestado pelo Brasil às autoridades italianas e bolivianas na captura de Cesare Battisti, condenado a prisão perpétua na Itália.

A Justiça italiana sentenciou Battisti pelo assassinato de quatro pessoas, na década de 1970, quando integrava o grupo Proletários Armados pelo Comunismo, um braço das Brigadas Vermelhas. Ele se diz inocente. Para as autoridades brasileiras, ele é considerado terrorista.

Em seu perfil no Facebook, Giuseppe Conte mencionou as famílias das vítimas. “As famílias Santoro, Torregiani, Sabbadin e Campagna poderão, finalmente, obter justiça. A captura e expulsão de César Battisti são um resultado esperado há mais de 40 anos, que devemos principalmente a eles, bem como às outras vítimas de suas ações criminosas”, postou Conte.

Paralelamente, o ministro do Interior da Itália, Matteo Salvini, reiterou os agradecimentos aos brasileiros e bolivianos. Ele usou as redes sociais para transmitir a mensagem.

“Agradeço às forças policiais italianas e estrangeiras, à polícia italiana, à Interpol, à Aise [agência italiana de inteligência] e a todos aqueles que trabalharam para a captura de #CesareBattisti, um delinquente que não merece uma vida confortável na praia, pelo seu trabalho árduo para terminar seus dias na cadeia”, escreveu Salvini, no seu perfil no Twitter.

*Com informações da RAI, emissora pública de televisão da Itália.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 110961 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]