Prefeitura de Salvador dificulta construção da nova Central Estadual de Regulação, denuncia SESAB

Ilustração da futura Central Estadual de Regulação da SESAB. Prefeitura de Salvador veda construção da edificação destinada ao setor da Saúde, pelo Governo da Bahia.
Ilustração da futura Central Estadual de Regulação da SESAB. Prefeitura de Salvador veda construção da edificação destinada ao setor da Saúde, pelo Governo da Bahia.
Ilustração da futura Central Estadual de Regulação da SESAB. Prefeitura de Salvador veda construção da edificação destinada ao setor da Saúde, pelo Governo da Bahia.
Ilustração da futura Central Estadual de Regulação da SESAB. Prefeitura de Salvador veda construção da edificação destinada ao setor da Saúde, pelo Governo da Bahia.

Há mais de três meses a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (SESAB) aguarda o alvará da Prefeitura de Salvador para início da construção da nova sede da Central Estadual de Regulação (CER), no Centro Administrativo da Bahia (CAB). Até o momento, as obras da edificação da Sesab encontram-se sem liberação do documento municipal, mesmo após diversas diligências.

A Central Estadual de Regulação é responsável pelo gerenciamento das solicitações de exames, avaliações com especialistas, internações em enfermaria ou UTI, bem como procedimentos cirúrgicos dos 417 municípios da Bahia. Com investimentos superiores a R$ 7,7 milhões e prazo de execução de até 12 meses, a obra deveria ter sido iniciada em setembro de 2018, porém as exigências graduais e paulatinas estão impedindo a construção. “Solicitamos empenho e celeridade na equipe municipal, visto que estamos dialogando há meses e os pedidos de esclarecimentos são feitos a conta-gotas ao invés de uma só vez. A data inicial do processo foi em 30 de agosto”, ressalta o secretário da Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas.

Nos últimos quatro anos, o Governo do Estado investiu mais de R$ 60 milhões em infraestrutura de rede, cabeamento e aquisição de computadores, impressoras e conectividade para os 57 hospitais, maternidades e centros de referência. A construção desse edifício com três pavimentos e mais de 2,3 mil metros quadrados ocorre simultaneamente com a implantação dos prontuários eletrônicos em todas as unidades da rede estadual.

Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9397 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).