MP de Goiás diz que cobrança de taxa por colégios militares é ilegal

Logomarca do Ministério público do Estado de Goiás (MPGO)
Logomarca do Ministério público do Estado de Goiás (MPGO)

Colégios militares de Goiás não podem cobrar taxas por serviços educacionais, pois a prática, segundo o Ministério Público do estado (MP-GO) é ilegal e abusiva. Depois de receber “inúmeras denúncias” de que os colégios estão cobrando taxas de matrícula ou mensalidade no estado, o Centro de Apoio Operacional da Educação do MP-GO encaminhou a todos os promotores um ofício informando sobre uma recomendação aos diretores das escolas militares.

O documento, expedido pelo MP-GO e pelo Comando de Ensino da Polícia Militar de Goiás, ressalta que as cobranças são ilegais e abusivas à luz da Constituição do Estado de Goiás, que prevê expressamente a gratuidade do ensino público em estabelecimentos oficiais.

O ofício esclarece ainda que a decisão tomada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no dia 24 de outubro, que prevê a manutenção de contribuição obrigatória de alunos matriculados em colégios militares, se aplica apenas às unidades de ensino que integram o sistema educacional do Exército.

Segundo o MP-GO, além não cobrar as taxas, os colégios estaduais deverão afixar, em lugar visível, aviso reforçando o caráter voluntário da contribuição às associações de pais, mestres e funcionário e a gratuidade dos serviços prestados pela instituição.

Ao todo, Goiás tem 46 colégios militares, sendo oito localizados em Goiânia e 38 no interior, de acordo com o portal dos Colégios Estaduais da Polícia Militar de Goiás (CEPMG).

*Com informações da Agência Brasil.

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 108043 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]