Membros da Polícia Federal na Bahia comentam sobre Operação Sicília; Ação objetivou prender elementos da quadrilha envolvidos com tráfico internacional de drogas; Confira vídeo

Publicidade

Banner da Gujão: Campanha com o tema ‘Tudo fresquinho é melhor’, veiculada em 3 de junho de 2022.
Fábio Marques, delegado da PF e Daniel Justo Madruga, superintendente regional da Polícia Federal na Bahia, comentam sobre a Operação Sicília.
Fábio Marques, delegado da PF e Daniel Justo Madruga, superintendente regional da Polícia Federal na Bahia, comentam sobre a Operação Sicília.
Fábio Marques, delegado da PF e Daniel Justo Madruga, superintendente regional da Polícia Federal na Bahia, comentam sobre a Operação Sicília.
Fábio Marques, delegado da PF e Daniel Justo Madruga, superintendente regional da Polícia Federal na Bahia, comentam sobre a Operação Sicília.

Daniel Justo Madruga, superintendente regional da Polícia Federal (PF) na Bahia e Fábio Marques, delegado da PF, comentam sobre a Operação Sicília, ação policial cuja finalidade foi desvelar quadrilha envolvida com o tráfico internacional de drogas, cuja atuação, principalmente, ocorria na Região Metropolitana de Salvador.

A Operação Sicília foi deflagrada na manhã desta terça-feira (04/12/2018) e contou com cerca de 60 policiais federais, com ordem judicial para cumprir 17 mandados de prisão temporária, por 30 dias, e 9 mandados de busca e apreensão. As ordens foram expedidas pelo juízo da Vara dos Feitos Relativos a Delitos Praticados por Organização Criminosa da Comarca de Salvador, para sem cumpridas nas cidades de Lauro de Freitas, Itaparica e Jequié, além da própria capital baiana.

A investigação teve início em 2016 e identificou uma organização criminosa integrada por traficantes, sobretudo de origem estrangeira, que atuavam em Salvador com o intuito de enviar drogas com um alto grau de pureza para o exterior. Quase todos os investigados já possuem antecedentes criminais por tráfico de drogas e muitos deles continuaram atuando ilicitamente mesmo estando presos ou cumprindo medidas judiciais alternativas.

Um dos principais investigados presos nesta manhã é um brasileiro criado na Itália ex-integrante da Cosa Nostra, a máfia siciliana, originária do Sul daquele país, e parceiro de Tommaso Buscetta, um dos seus mais conhecidos membros. Daí o nome da operação, Sicília.

Confira vídeo

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Carlos Augusto 10036 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).