Solenidade, em Salvador, marca 73º aniversário de fundação do 2º Distrito Naval da Marinha do Brasil e promoção de Almir Garnier Santos à patente de Almirante de Esquadra

Solenidade no 2º Distrito Naval marca 73 anos de fundação da instituição da Marinha do Brasil e promoção de Almir Garnier Santos à patente de Almirante de Esquadra.

Solenidade no 2º Distrito Naval marca 73 anos de fundação da instituição da Marinha do Brasil e promoção de Almir Garnier Santos à patente de Almirante de Esquadra.

O Chefe do Estado-Maior do Comando do 2º Distrito Naval da Marinha do Brasil (2º DN) promove cerimônia em comemoração ao 73º aniversário de fundação do 2º Distrito Naval e promoção de Almir Garnier Santos à patente de Almirante de Esquadra. A solenidade ocorre na quarta-feira (28/11/2018), na sede do 2º DN, em Salvador.

Histórico do 2º Distrito Naval da Marinha do Brasil

No ano de 1942, com a entrada do Brasil na Segunda Guerra Mundial, foi decretada a criação dos Comandos Navais, tendo sido Salvador designada para sede do Comando Naval do Leste. A denominação de Comando Naval do Leste foi mantida até 1945, quando passou a ser “Comando do 2º Distrito Naval” (Com2° DN).

Após algumas mudanças de endereço, a 07 de junho de 1973, o Comando do 2º Distrito Naval mudou-se para as instalações da extinta Escola de Aprendizes Marinheiros, situada à Av. das Naus s/n – bairro Comércio, onde funciona atualmente. Dispõe de aproximadamente 150 metros de cais, grande área para cerimônias militares e um heliponto. o 2º Distrito Naval, a exemplo dos demais DN, é subordinado diretamente ao Comando de Operações Navais CON.

A área jurisdicional do 2° DN abrange mais de 1.100.000 quilômetros quadrados, aproximadamente 14% do território brasileiro, com cerca de mil quilômetros de confrontação com o Oceano Atlântico. A área terrestre sob jurisdição do 2º Distrito Naval é cortada pelo Rio São Francisco desde Pirapora-MG a Juazeiro-BA. O 2° Distrito Naval é o órgão do Comando que se destina, na sua área de jurisdição, a:

  1. a) Controlar o tráfego marítimo;
  2. b) Coordenar e prover apoio logístico às Forças em Operações;
  3. c) Propiciar a defesa da área em cooperação com os órgãos competentes do Exército e da Força Aérea (Patrulha Naval e a Defesa do Portos); e
  4. d) Realizar o socorro marítimo.

Confira vídeo

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).