Alunos do Centro de Educação Básica dão aula a futuros professores da UEFS

Estudantes do Centro de Educação Básica ministram aula para alunos de Matemática da UEFS.Estudantes do Centro de Educação Básica ministram aula para alunos de Matemática da UEFS.
Estudantes do Centro de Educação Básica ministram aula para alunos de Matemática da UEFS.

Estudantes do Centro de Educação Básica ministram aula para alunos de Matemática da UEFS.

Método de extração da raiz quadrada, quebra-cabeça com proposta didática e o Crivo de Eratóstenes, entre outros. Os temas são comuns nas aulas de matemática no Ensino Fundamental II, do 6º ao 9º ano. Mas, nem sempre são apresentados aos estudantes de maneira interessante e atraente, o que muitas vezes contribui para a falta de interesse ou mesmo a dificuldade para aprender.

Daí, os próprios alunos do 6º ano do Centro de Educação Básica (CEB) da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), escola da Rede Municipal, foram motivados a ministrar uma aula para estudantes do terceiro e quinto semestres do curso de Matemática da instituição.

O objetivo é mostrar aos professores, a partir de um exemplo real, como as aulas podem ser mais lúdicas. Com a parceria, os adolescentes da Educação Básica demonstram então aos futuros docentes qual é o tipo de professor que eles gostariam de ter.

A experiência, realizada na última semana, integra o projeto ‘Troca de Saberes – o protagonismo da Educação Básica’, iniciativa do professor de Matemática Cristiano dos Santos e da professora Márcia Suely de Oliveira, que ministra a disciplina Didática, também na UEFS.

No primeiro momento, foram os universitários que visitaram os alunos do CEB e também o Colégio Estadual Governador Luiz Viana, que ficam no Bairro Cidade Nova. No segundo encontro, os estudantes vivenciaram uma situação contrária ou revés.

Segundo o professor Cristiano, foi uma experiência incrível. “Foi muito bacana por que os alunos de 11 anos deram aulas para futuros professores; e eles foram encarados com muito respeito pelos estudantes da universidade, foi uma generosidade legal. Os mais jovens estão ensinando aos mais velhos como tornar as atividades de matemática mais dinâmicas, atraentes, a despertar o interesse das crianças”, conta.

Algo mágico, diz aluna

Ísis Karoline de Sousa Maciel, de 11 anos, foi a responsável por abordar o Crivo de Eratóstenes – algoritmo ou método simples para encontrar números primos até um determinado valor. “Achei algo mágico. Foi a minha primeira vez dando aula e para a gente que já sabia o assunto, que vai ser professor em breve”, disse, entusiasmada.

Ísis fez questão de destacar como positiva, inclusive, as estratégias pedagógicas utilizadas pelo seu professor, Cristiano. “Ele tem métodos diferentes. Não explica só baseado no livro ou ditando para a gente escrever. Ele gosta muito de perguntas e respostas”, pontuou.

Ranielle Pereira, de 12 anos, fez a introdução da aula com uma dinâmica denominada ‘Matemágica’. Ela sugeria que os universitários pensassem em um número e, após algumas operações matemáticas, ela os adivinharia. “Foi quase um truque, né? Eles acharam diferente e legal. Acho importante eles aprenderem que tipo de aula funciona mais com os alunos”, comenta.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Redação do Jornal Grande Bahia
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]