Eleições 2018: Em Feira de Santana, senador eleito Angelo Coronel diz que disputa “se ganha é na urna” e que Fernando Haddad é o mais preparado para fazer Brasil sair da crise

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Angelo Mario Coronel de Azevedo Martins
Senador eleito Angelo Coronel participa de reunião com lideranças da região de Feira de Santana e defende que eleitores votem em Fernando Haddad para presidente da República.
Senador eleito Angelo Coronel participa de reunião com lideranças da região de Feira de Santana e defende que eleitores votem em Fernando Haddad para presidente da República.

O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia e Senador eleito, Angelo Coronel, participou hoje (22/10/2018), ao lado do governador Rui Costa, de uma reunião com 70 prefeitos e centenas de vereadores e lideranças políticas de Feira de Santana e região para pedir trabalho e muito empenho pela vitória de Fernando Haddad no próximo domingo, no segundo turno das eleições presidenciais. “Eleição se ganha é na urna. Se pesquisa fosse resultado final, eu não seria Senador, assim como, nas eleições anteriores, não teriam sido Otto Alencar, Lídice da Matta e Walter Pinheiro. Quem não se lembra da eleição Paulo Souto contra Wagner? E, em 2014, as pesquisas apontavam que Dilma perderia para Aécio. O que importa mesmo será o voto na urna, no domingo”, diz Angelo Coronel.

O Senador eleito pelo PSD diz que Haddad será eleito e que o Brasil irá escapar da tentação autoritária. “Quando ouvimos do filho do candidato do PSL que o STF pode ser fechado, estamos diante de uma tentação autoritária, que ameaça instituições que são pilares da democracia. Ameaçar fechar o Congresso e fechar o Supremo mostra que o risco de regressarmos à ditadura é real. Não aceitamos ser mandados, queremos diálogo e inclusão. E o candidato que pode fazer hoje isso no país é Fernando Haddad, goste-se ou não do PT. Quando Hitler ameaçava o mundo, os Estados Unidos fizeram aliança com o seu principal inimigo que era a União Soviética. Quando o mal é maior, todos têm que se unir”, prega Angelo Coronel.

De acordo com o presidente do Legislativo baiano, a eleição de Haddad significa muito para os baianos e para o governo de Rui Costa. “Muitos empresários dizem: ‘Rui não precisa do Governo Federal’. Precisa, sim. Somos a quarta população do Brasil e o vigésimo Estado em arrecadação de impostos. O governador Rui Costa realmente fez milagre, mas a corda está encurtando e precisamos de mais recursos do Governo Federal para tocar obras importantes de estradas, hospitais e escolas. A eleição de Haddad, portanto, é fundamental para os baianos”, argumenta Coronel.

Sobre Carlos Augusto 9611 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).