Últimas apresentações do Espetáculo de dança ‘Nunca por Acaso’ em Salvador

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Cena do Espetáculo 'Nunca por acaso'.
Cena do Espetáculo 'Nunca por acaso'.
Cena do Espetáculo 'Nunca por acaso'.
Cena do Espetáculo ‘Nunca por acaso’.

Nunca por Acaso faz suas três últimas apresentações da temporada no Teatro Gregório de Mattos. No sábado (25/08/2018), às 19 horas e domingo, 26, às 16 horas. O espetáculo de dança tem direção coreográfica de Giovanni Luquini.  No foyer do teatro está montada uma mostra sobre o processo criativo do espetáculo, com fotos, vídeo e música, a curadoria foi realizada por Marina Alfaya, fotógrafa, Giovanni Luquini, coreógrafo, Luciano Martins, produtor, Yuri Rosat, cinegrafista.

“Um exercício da memória, das escolhas e dos encontros. Aqui celebramos o amor, a amizade e o estar juntos. Nunca Por Acaso traça um paralelo entre tempo e ação, a memória e o agora”. Giovanni Luquini.

Em Nunca por Acaso Giovanni Luquini dirige as dançarinas Alana Falcão, Joely Silva e Melissa Figueiredo e o dançarino Marcley Oliveira. O processo criativo teve como pilar a ideia do tempo agindo sobre nossas escolhas, mas também a celebração do encontro, o amor e a simplicidade.  “Nunca Por Acaso traça um paralelo entre a memória e as escolhas que fazemos ao longo da nossa jornada. O palco se desvela num tabuleiro onde os dançarinos intérpretes estabelecem as regras para seus jogos, relacionamentos”, explica Luquini.

A direção musical do espetáculo é de Luciano Salvador Bahia, que compôs as músicas durante o processo de concepção do espetáculo. “Fui filmando os ensaios, conversando com o corógrafo e criando a música na medida em que a coreografia ia avançando”, explica Luciano.

Luciano fez uma música que traz muitos elementos da sonoridade afro-baiana e do Nordeste do Brasil, mas que ao mesmo tempo utiliza um material sonoro do mundo. “Hora ela é mais brasileira, hora parece europeia, hora tem pitadas de música oriental e árabe. Isso acontece porque a própria história de vida do coreógrafo tem esse caráter planetário, e a coreografia é inspirada em muitos trechos de sua obra ao longo de sua carreira. Classifico a trilha como um produto que deve estar na prateleira da World Music, mas que depois de ouvida nunca deixará dúvida de que foi feita por um baiano e para uma companhia de dança de baianos”, conclui.

Euro Pires assina o cenário e o figurino, a produção é de Luciano Martins, da Capim Rosa Chá e a coprodução de Maurício Mota, da Cavalo Marinho.  O projeto foi contemplado pelo Edital Setorial de Teatro 2016 do Fundo de Cultura, com apoio da Secretaria de Cultura, Secretaria da Fazenda e Fundação Cultural do Estado da Bahia.

Sobre Giovanni Luquini

O trabalho de Luquini é um mix de temas urbanos e conflitos interpessoais. Apresentados através da dança contemporânea e da interpretação teatral, seus trabalhos são uma experiência multimídia que incorpora uma coreografia atlética com textos, poesia, vídeos e música original e representam uma fusão de dança e teatro. Há mais de trinta anos Luquini tem trabalhado como performer e coreógrafo no Brasil, Europa e Estados Unidos. Em 1995, após quatro anos de trabalho com Cloud Chamber, Interdisciplinare Dance & Theatre, em Amsterdam, mudou-se para Miami, onde foi professor de dança contemporânea e Afro-Brasileira na FIU-Florida International University.  Em 1997 em Miami, fundou a companhia Giovanni Luquini Performance Troupe e teve suas produções apresentadas em diversos festivais pelos Estados Unidos.  Em 1999 sua coreografia recebeu ‘Mensão Honrosa’ do State of Florida Artist Fellowship Award. No ano 2000 foi premiado com o fellowship daquela instituição na categoria de ‘Interdisciplinary Work’.  Em 2002 e 2003, foi premiado com o Choeographer’s Fellowship por Dade-County Department of Cultural Affairs.

Em paralelo a essas atividades, Luquini apresentou alguns dos seus trabalhos no Brasil, no Panorama da Dança 2000, com Raw Footage; em Salvador, no Mercado Cultural Internacional, apresentou Flagrante Delicto. No V Ateliê de Coreógrafos Brasileiros –  Solos 40, apresentou Idalina, o solo e, em Maio, na abertura da “Quarta Que Dança 08”, Slices 1,3 & 7.  Em 2011 realizou a coreografia para peça de teatro A Mulher de Roxo e fez participação como intérprete no X Festival Internacional de Artistas de Rua. Luquini reside na Gamboa, Vera cruz, Ilha de Itaparica, diretor da Banda CRU Dança, um projeto de pesquisa coreográfica que estreou seu primeiro trabalho na Casa de Castro Alves, o espetáculo ‘CRU’, apresentando também nos Festivais ‘Doses de Dança’, ‘Mostra de Dança de Lençóis’ e Jornada de Dança da Bahia.

Agenda

O que: Espetáculo de dança Nunca por Acaso

Quando: 25 de agosto, às 19 horas

Onde: Teatro Gregório de Mattos, em Salvador

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 113485 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]