Salvador: Morre jornalista feirense Edivaldo Machado Boaventura; Intelectual atuou como diretor do Jornal A Tarde e professor da UFBA; políticos manifestam pesar

Edivaldo Machado Boaventura morre aos 84 anos. Intelectual feirense teve destacada influência sociocultural na Bahia.
Edivaldo Machado Boaventura morre aos 84 anos. Intelectual feirense teve destacada influência sociocultural na Bahia.

Morreu em decorrência de complicações de uma cirurgia cardíaca, na madrugada desta quarta-feira (22/08/2018), Edivaldo Machado Boaventura, 84 anos. Em vida, ele atuou como diretor do Jornal A Tarde, professor da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e desenvolveu trabalhos autorais como escritor.

O funeral ocorre nesta quinta-feira (23) no cemitério Jardim da Saudade, em Salvador. O enterro está programado para às 15 horas.

Perfil biográfico

Edivaldo Machado Boaventura, filho de Osvaldo Abreu Boaventura e Edith Machado Boaventura, nasceu em Feira de Santana, Bahia, em 10 de dezembro de 1933. Cursou o secundário com os jesuítas, no Colégio Antônio Vieira. Bacharelou-se em Direito (1959), em Ciências Sociais (1969), doutorou-se e obteve a Livre Docência (1964) pela Universidade Federal da Bahia  (UFBA). É Mestre (1980) e Ph.D. (1981) em Educação pela The Pennsylvania State University, EUA.

Na produção literária de Edivaldo Boaventura destacam-se obras como Problemas da educação baiana (1977), Pela causa da educação e da cultura (1984), e A educação brasileira e o direito (1997), entre outras. Edivaldo também integrou o conselho editorial de cerca de 10 revistas da área de educação e ciências humanas.

Entre outras conquistas, ele presidiu (2007-2011) a Academia de Letras da Bahia, foi secretário estadual de Educação por duas gestões (1970-1971 e 1983-1987), quando criou e exerceu a reitoria da UNEB, e ainda implantou o doutorado em educação da UFBA.

Em 2012, a Universidade Estadual da Bahia (UNEB) outorgou o título de ‘Doutor Honoris Causa’ ao professor Edivaldo Boaventura.

Em 2014, o jornalista e pesquisador professor Dr. Sérgio Mattos lançou obra, no formato reportagem biográfica, com o título ‘Um cidadão prestante’. O livro aborda os principais aspecto da trajetória de vida do jornalista e intelectual feirense Edivaldo Boaventura.

Governador Rui Costa lamenta morte do professor Edivaldo Boaventura

O governador Rui Costa lamentou, nesta quarta-feira (22/08/2018), a morte do professor e escritor Edivaldo Boaventura, fundador da Universidade do Estado da Bahia (Uneb), ex-professor da Universidade Federal da Bahia (Ufba) e ex-diretor geral do Jornal A Tarde.

“Soube há pouco da morte do professor Edivaldo Boaventura, um dos nomes mais respeitados na área da educação no País. Aos familiares, amigos e admiradores do trabalho dele, meus sentimentos de pesar neste momento de dor. A conduta ética e respeitosa que marcou sua trajetória garantiu ao também escritor uma cadeira na Academia de Letras da Bahia (ALB) e na Academia de Ciências de Lisboa (Portugal). Sem dúvida, o legado de Edivaldo continuará sendo fonte de inspiração para quem considera a educação o principal elemento de transformação da nossa sociedade”.

Secretário estadual Walter Pinheiro manifesta pesar

O professor Edivaldo Boaventura ficará para sempre na memória dos baianos como uma pessoa à frente de seu tempo, com uma trajetória intelectual e profissional ímpar. Ele foi um dos secretários estaduais da Educação mais brilhantes de todos os tempos, fundador da Universidade do Estado da Bahia, uma das maiores instituições públicas de ensino superior multicampi do Brasil, e também fundou a Academia de Ciências da Bahia. Grande expoente na literatura, teve destacada atuação na Academia Baiana de Letras. Como jornalista, deu grandes contribuições para a sociedade, sempre pautado na ética e nos princípios democráticos. Neste momento, nos solidarizamos com a família e agradecemos ao grande mestre por seu legado.

Presidente da Fundação Gregório de Mattos emite nota de pesar

Fernando Guerreiro, Presidente da Fundação Gregório de Mattos, afirma em nota estar “muito triste com a passagem do Prof. Edivaldo Boaventura. Grande personalidade , pensador e professor de gerações, Edivaldo sempre me conquistou pelo bom humor. Um humor fino, inteligente, preciso, que soube transmitir com maestria para o filho, meu grande amigo , Daniel Boaventura. Vamos lembrar dele como um mestre, que deixa seu legado através de várias gerações. Viva Professor Edivaldo!”

Academia de Ciências da Bahia lamenta falecimento de Edivaldo Boaventura

Com profundo pesar, a Academia de Ciências da Bahia comunica o falecimento do vice-presidente da entidade e um dos Membros Fundadores, professor e escritor Edivaldo Boaventura.

Diretor Geral do Instituto Anísio Teixeira lamenta morte de Edivaldo Boaventura

O Diretor Geral do Instituto Anísio Teixeira, Matheus Barreto, lamentou a morte do professor e ex-secretário de educação e cultura da Bahia, Edivaldo Boaventura. O gestor lembrou que foi durante a segunda passagem de Boaventura à frente da Educação, em 1983, que foi fundado o Instituto Anísio Teixeira – IAT. “Boaventura foi um homem que pensou à frente do seu tempo e enxergava a formação docente como algo fundamental para a garantia de uma educação pública de qualidade”, afirmou Matheus.

Professor, escritor, jornalista. Edivaldo Boaventura, além do IAT, foi responsável pela criação da Universidade do Estado da Bahia – UNEB e também credenciou a Universidade Estadual de Feira de Santana – UEFS, quando membro do Conselho Estadual de Educação. Foi um grande impulsionador das Universidades Estadual do Sudoeste Baiano – UESB e Estadual de Santa Cruz – UESC.

Deputado Angelo Coronel diz que Bahia ficou menos “culta, educada e elegante” com o passamento do Mestre Edivaldo Boaventura

O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia – ALBA, Angelo Coronel, declarou que a Bahia ficou hoje (22/08/2018) menos “culta, educada e elegante” com o passamento, nesta madrugada, do Mestre, educador, escritor e acadêmico Edivaldo Boaventura. “Meu abraço solidário, e de todos os parlamentares da ALBA, aos familiares e amigos do professor Boaventura por este momento de muita tristeza. E, também, aos seus conterrâneos de Feira de Santana. Um gentleman é a definição mais precisa dele. Um homem do diálogo, elegante, das letras, apaixonado pela cultura, principalmente a francesa. Foi um grande secretário de Educação da Bahia, fundador da Uneb, com o pensamento sempre voltado para a qualidade da educação, da mesma estirpe dos grandes educadores baianos, como Anísio Teixeira, João Florêncio Gomes e Carneiro Ribeiro”, diz Angelo Coronel.

O chefe do Legislativo baiano apresentou moção oficial de pesar pelo falecimento do professor Boaventura. “Além da vida acadêmica, como professor emérito na Universidade Federal da Bahia, secretário da Educação, fundador da Universidade do Estado da Bahia, membro da Academia de Letras da Bahia, ele teve um grande desempenho como diretor-geral do jornal A TARDE, a partir de 1996, quando sucedeu a um dos ícones do jornalismo baiano, o jornalista Jorge Calmon. Criou o projeto A TARDE Educação, inserindo o jornal nas escolas do interior da Bahia”, justifica o presidente da ALBA.

Edvaldo Brito propôs moção de pesar conjunta pelo falecimento de Edivaldo Boaventura

O vereador Edvaldo Brito (PSD) utilizou a tribuna da Câmara hoje (22/08/2018) para lamentar a morte do educador e escritor Edivaldo Boaventura, seu amigo de longas datas, e pediu uma moção de pesar conjunta, em nome da Casa, no que foi seguido por outros vereadores e aprovado por todos os líderes partidários. No seu pronunciamento, Brito lembrou que as famílias, dele e do seu homônimo, são amigas há décadas e que a dor é profunda. O vereador foi subsecretário de Educação durante o governo de Luís Viana Filho, quando Boaventura era o titular. “Com muita tristeza no coração de todos, a Bahia perde hoje um dos homens mais cultos da sua história. Edivaldo foi professor de muitas gerações, era a fina flor da inteligência da Academia de Letras da Bahia, do Instituto Geográfico e Histórico, e talvez de todas as instituições científicas desta terra. O seu legado fica para orientar e iluminar o futuro”, declarou Brito, que publicou nas suas redes sociais uma mensagem de pesar para a família Boaventura.

Vereador Edvaldo Brito propôs moção de pesar conjunta pelo falecimento de Edivaldo Boaventura

O vereador Edvaldo Brito (PSD) utilizou a tribuna da Câmara hoje (22/08/2018) para lamentar a morte do educador e escritor Edivaldo Boaventura, seu amigo de longas datas, e pediu uma moção de pesar conjunta, em nome da Casa, no que foi seguido por outros vereadores e aprovado por todos os líderes partidários. No seu pronunciamento, Brito lembrou que as famílias, dele e do seu homônimo, são amigas há décadas e que a dor é profunda. O vereador foi subsecretário de Educação durante o governo de Luís Viana Filho, quando Boaventura era o titular.

“Com muita tristeza no coração de todos, a Bahia perde hoje um dos homens mais cultos da sua história. Edivaldo foi professor de muitas gerações, era a fina flor da inteligência da Academia de Letras da Bahia, do Instituto Geográfico e Histórico, e talvez de todas as instituições científicas desta terra. O seu legado fica para orientar e iluminar o futuro”, declarou Brito, que publicou nas suas redes sociais uma mensagem de pesar para a família Boaventura.

José Ronaldo (DEM), candidato a governador da Bahia, emite nota de pesar em memória do professor Edivaldo Boaventura

Professor, jornalista, escritor… Muitas eram as qualidades de Edivaldo Boaventura, conhecido como pessoa doce e extremamente inteligente. Ele era natural de Feira de Santana, onde nos conhecemos e nos tornamos amigos. Conversávamos sobre nossa cidade e também sobre Educação, área na qual era referência, sendo formado em Direito e Ciências Sociais e feito carreira como professor da UFBA. A Bahia perde um dos seus nomes mais valiosos e participativos da vida cultural e acadêmica. Secretário da Educação em duas oportunidades, ele carregava no currículo o fato de ter criado a UNEB, instituição da qual foi reitor. Edivaldo muito fez pelo nosso estado e por tudo isso foi prestigiado com cadeiras na Academia de Letras e no Instituto Histórico e Geográfico, instituições pelas quais sempre teve muito carinho. Além de tudo isso, foi um comandante entusiasta do centenário Jornal A Tarde. Edivaldo Boaventura fará muita falta às letras e à vida da Bahia.

Prefeitura de Feira de Santana decreta ‘Luto Oficial’

O prefeito Colbert Martins Filho decretou luto oficial de três dias, no Município, em virtude da morte do feirense Edivaldo Machado Boaventura.

“Feira de Santana perde um filho talentoso e muito querido, uma das nossas maiores personalidades, sem dúvida. A Bahia e o Brasil deixam de contar com um dedicado e competente educador, homem das letras, íntegro em toda a sua trajetória de vida pública”, disse o prefeito Colbert Martins.

Câmara Municipal de Feira de Santana lamenta morte de Edivaldo Boaventura

A Câmara Municipal de Feira de Santana lamenta o falecimento do professor feirense Edivaldo Boaventura, ocorrida ontem (22/08/2018), em Salvador, e se solidariza com a família baiana.

Edivaldo deixa um legado para a história da política, educação, cultura, imprensa e da literatura do Estado da Bahia.

UFRB lamenta falecimento de Edivaldo Boaventura

A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) manifesta o seu profundo pesar pelo falecimento de Edivaldo Machado Boaventura.

Edivaldo teve papel de destaque na sociedade baiana na defesa da Educação pública e de qualidade em prol da interiorização do Ensino Superior nas funções que exerceu como a de secretário de Educação e Cultura da Bahia, além de primeiro Reitor da Universidade do Estado da Bahia (UNEB).

Ao registrarmos nossas condolências, manifestamos apoio e solidariedade aos amigos e familiares.

MP lamenta falecimento de Edivaldo Boaventura

O Ministério Público do Estado da Bahia lamenta o falecimento do professor Edivaldo Boaventura, ex-diretor-geral do Jornal A Tarde, ex-secretário estadual da Educação, mestre em Direito e pós-doutor em Educação. A Instituição solidariza-se com a família e destaca que o legado deixado por Edivaldo Boaventura para o Direito, o Jornalismo e a educação de qualidade na Bahia continuará a nortear diversas gerações de profissionais das áreas do Direito e do Jornalismo.

Em 21 de maio de 2007, Edivaldo Machado Boaventura é registrando despachando, ao telefone, no gabinete que mantinha na sede do Jornal A Tarde, em Salvador.
Em 21 de maio de 2007, Edivaldo Machado Boaventura é registrando despachando, ao telefone, no gabinete que mantinha na sede do Jornal A Tarde, em Salvador.
Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Carlos Augusto 9610 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).