Estudantes da capital e do interior baiano apresentam tecnologias sociais em mostra científica em Salvador

Publicidade

Banner da Gujão: Campanha com o tema ‘Tudo fresquinho é melhor’, veiculada em 3 de junho de 2022.
Projeto Ciência na Escola é realizado no Instituto Anísio Teixeira.
Projeto Ciência na Escola é realizado no Instituto Anísio Teixeira.
Projeto Ciência na Escola é realizado no Instituto Anísio Teixeira.
Projeto Ciência na Escola é realizado no Instituto Anísio Teixeira.

Esta semana tem sido de muitos aprendizados e descobertas para estudantes e professores da rede estadual, da capital e do interior, que estão participando de uma intensa capacitação em Práticas Educativas Inovadoras de Ciências, Tecnologia, Engenharias e Matemática (STEM), no Instituto Anísio Teixeira, em Salvador. A atividade, que começou na segunda-feira (13), será encerrada nesta quinta-feira (16/08/2018), com uma mostra de projetos de iniciação científica, por meio dos quais os estudantes irão apresentar o resultado de pesquisas desenvolvidas em sala de aula, no âmbito do projeto Ciência na Escola. Muitos destes projetos envolvem tecnologias sociais, de baixo custo e que estão fazendo a diferença na vida das comunidades onde os estudantes vivem.

Ao todo 68 estudantes, de 35 escolas estaduais, irão expor 17 projetos de iniciação científica. Dentre eles, está o ‘Helicóptero Caseiro’. O equipamento foi feito a partir de uma placa de alumínio e voa impulsionado por um motor elétrico. Com uma câmara acoplada em wi-fi, o helicóptero faz um mapeamento de áreas degradadas na região do Sobradinho. Este projeto é um desdobramento do lançador de sementes, feito à base de garrafa pet, que também foi desenvolvido por estudantes da Escola Estadual Maria José Lima Silveira, em Sobradinho. Com o Helicóptero caseiro, os estudantes estão mensurando se houve recuperação de áreas onde o lançador de semente foi utilizado, além de verificar quais intervenções podem ser feitas para reduzir os impactos ambientais.

Como parte da programação da semana voltada à Educação Científica, nesta quinta-feira (15), os estudantes e professores participaram da maratona tecnológica ‘Hackathon Educacional’. A iniciativa, promovida pela Secretaria da Educação do Estado da Bahia, por meio do projeto e-Nova Educação, permite que os participantes desenvolvam, de forma conjunta, ações pedagógicas utilizando os Chromebooks que estão sendo disponibilizados para as escolas a partir do projeto e-Nova Educação, desenvolvido em parceria com o Google.

O secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, esteve no evento e falou sobre a ação. “Esta é uma experiência concreta do que é efetivamente a nova escola e aqui, por exemplo, a gente pode perceber o entusiasmo destes estudantes, desenvolvendo projetos inovadores e de cunho social, para serem aplicados nas comunidades onde moram. São diversas escolas, de diferentes regiões, com diferentes frentes de trabalho. Então, portanto, o que estamos fazendo aqui desta maneira é o que está acontecendo hoje nas escolas no dia a dia”, destacou.

Todas estas atividades que estão acontecendo durante a semana no IAT, são desdobramentos do edital submetido e selecionado pela TechCamp 2018, pela coordenadora do Programa Ciência na Escola (PCE), da Secretaria da Educação do Estado, Shirley Costa, e o professor de História, Delmaci Ribeiro de Jesus, que leciona no Colégio Estadual Maria Isabel de Melo Góes, localizado em Catu (91 km de Salvador). O STEM TechCamp Brasil é promovido pela Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, com o objetivo de estruturar uma rede de multiplicadores formada por gestores das Secretarias Estaduais de Educação e professores líderes de ações escolares em STEM, com potencial para implantar novas ações voltadas à aprendizagem ativa nas redes públicas de Educação Básica de todo o Brasil.

A partir de agora, espera-se que sejam implantadas novas ações voltadas à aprendizagem ativa de STEM nas escolas estaduais, bem como a organização e a realização de feiras regionais nos Núcleos Territórios de Educação (NTE), buscando inovar os ambientes de aprendizagem.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Carlos Augusto 10092 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).