IBGE: De abril para maio de 2018, volume do setor de serviços cai 4,8% na Bahia

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Política recessiva do Governo Temer compromete desempenho da economia.
Política recessiva do Governo Temer compromete desempenho da economia.
Política recessiva do Governo Temer compromete desempenho da economia.
Política recessiva do Governo Temer compromete desempenho da economia.

Em maio de 2018, o volume do setor de serviços caiu 4,8% na Bahia, na comparação com o mês imediatamente anterior, livre de influências sazonais, após a variação positiva registrada em abril nessa comparação (0,7%). O resultado baiano ficou um pouco pior que a média nacional (-3,8%).

De abril para maio, o setor de serviços recuou em 23 dos 27 estados, com destaques negativos para Tocantins (-20,2%), Espírito Santo (-11,3%) e Mato Grosso (-9,3%). Nessa comparação, os serviços só tiveram resultados positivos no Acre (4,6%), Distrito Federal (1,4%) e Piauí (1,0%), enquanto no Amazonas o setor não apresentou variação (0,0%).

Frente a maio de 2017, o volume dos serviços na Bahia também seguiu em queda (-9,8%). Nessa comparação, o setor recua há sete meses consecutivos na Bahia (desde novembro de 2017).

O resultado do estado frente a maio de 2017 (-9,8%) ficou também significativamente abaixo da média nacional (-3,8%). Nesse confronto, o volume do setor de serviços caiu em 25 dos 27 estados, ficando positivo apenas no Distrito Federal (4,8%) e em Roraima (9,0%).

Com o desempenho negativo de maio, os serviços na Bahia acumulam queda de 6,5% no ano de 2018 e de 4,7% em 12 meses. O desempenho do setor não é positivo nesses indicadores há bastante tempo: no acumulado no ano, está em quedas seguidas desde fevereiro de 2017; no acumulado em 12 meses, recua desde setembro de 2015.

De janeiro a maio de 2018, no Brasil, os serviços caem 1,3%, com recuos em 23 dos 27 estados. Nos 12 meses encerrados em maio, o volume do setor teve retração de 1,6% no país, com resultados negativos em 22 unidades da Federação.

Em maio, 4 das 5 atividades de serviços recuam na BA, com fortes influências dos transportes (-12,8%) e serviços de informação e comunicação (-14,9%)

Frente ao mesmo mês de 2017, em maio de 2018 (-4,7%), quatro das cinco atividades de serviços pesquisadas tiveram resultados negativos na Bahia.

Com as maiores quedas, em termos de magnitude, os transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (-12,8%) e os serviços de informação e comunicação (-14,9%) exerceram, nessa ordem, as principais influências negativas no estado.

Os transportes são a atividade de maior peso na estrutura dos serviços baianos e tiveram em maio (-12,8%) a terceira queda consecutiva neste ano, porém num ritmo muito mais intenso que nos meses anteriores (-0,3% em abril e -2,6% em março).

Os serviços de informação e comunicação se mantêm em quedas seguidas há quase um ano, desde junho de 2017, acumulando retração de 14,6% de janeiro a maio de 2018 – a maior dentre as atividades investigadas.

A única atividade com variação positiva em maio, no estado, em maio, foi a de serviços profissionais, administrativos e complementares (0,7%), que apresentou sua terceira alta neste ano, após uma série de resultados negativos que se estendeu de março de 2017 a fevereiro de 2018.

Serviços ligados ao turismo na Bahia caem de abril para maio (-4,9%) e têm o pior resultado do país frente a maio de 2018 (-8,2%)

De abril para maio, as atividades de serviços ligadas ao turismo na Bahia voltaram a cair (-4,9%), após terem apresentado em abril a primeira variação positiva do ano nessa comparação (2,7%). O confronto com o mês imediatamente anterior é ajustado sazonalmente.

O resultado foi o segundo pior entre os 12 estados investigados, melhor apenas que o verificado no Distrito Federal (-5,0%), e ficou abaixo da média nacional (-2,4%). De abril para maio, apenas Goiás (2,0%), Pernambuco (1,5%) e Ceará (0,9%) apresentaram aumentos no volume das atividades turísticas.

Na comparação com maio de 2017, o resultado do turismo baiano foi o pior do país (-8,2%), quarta queda consecutiva nessa comparação e aprofundando significativamente o ritmo de retração em relação a abril, (-0,1%). Nessa comparação, Paraná (-3,7%) e Rio de Janeiro (-1,9%) também apresentaram recuos.

No ano de 2018, o volume das atividades turísticas no estado já acumula queda de 4,4%, mantendo-se como a segunda maior retração, menor apenas que a do Rio de Janeiro (-6,2%), e maior que a média nacional (-0,3%).

Nos 12 meses encerrados em maio, o turismo baiano também apresenta retração (-1,1%), embora menor que a média nacional (-4,0%).

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 112926 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]