ALBA: Deputado José Cerqueira Neto contesta críticas e diz que histórico da Oposição em relação ao PLANSERV é trágico

José Cerqueira Neto (Zé Neto): a nova gestão do Planserv, iniciada em 2015, vem adotando medidas importantes para garantir a sustentabilidade da assistência, em um cenário difícil para os planos de saúde de um modo geral.
José Cerqueira Neto (Zé Neto): a nova gestão do Planserv, iniciada em 2015, vem adotando medidas importantes para garantir a sustentabilidade da assistência, em um cenário difícil para os planos de saúde de um modo geral.
José Cerqueira Neto (Zé Neto): a nova gestão do Planserv, iniciada em 2015, vem adotando medidas importantes para garantir a sustentabilidade da assistência, em um cenário difícil para os planos de saúde de um modo geral.
José Cerqueira Neto (Zé Neto): a nova gestão do Planserv, iniciada em 2015, vem adotando medidas importantes para garantir a sustentabilidade da assistência, em um cenário difícil para os planos de saúde de um modo geral.

Em nota, encaminhada nesta quinta-feira (05/07/2018) ao Jornal Grande Bahia, o deputado estadual José Cerqueira Neto (Zé Neto, PT) contestou denuncia do Bloco de Oposição,  sobre o “sucateamento do PLANSERV promovido pelo Governo da Bahia”.

“A oposição não tem histórico nem competência para falar do Planserv. No período em que esteve à frente do governo, há 12 anos, quando nós chegamos na Bahia, o Planserv tinha um atraso de mais de quatro meses para pagar seus prestadores. Era um dos piores planos do Brasil e estava vivendo um decréscimo, tanto de procura como em relação a seus usuários”,  afirmou Zé Neto, líder do Governo na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba).

“O Planserv tem atualmente cerca de 512 mil beneficiários, entre servidores públicos estaduais, seus cônjuges, filhos e netos. É um dos maiores planos do país, destacando-se, principalmente, entre as assistências à saúde para servidores públicos. Para se ter uma noção, o Planserv investe por ano R$1,5 bilhão para seus usuários; em São Paulo, o plano de saúde dos servidores públicos aplica R$1,1 bilhão para um universo de 1,3 milhão de beneficiários”, afirma o parlamentar.

“A nova gestão do Planserv, iniciada em 2015, vem adotando medidas importantes para garantir a sustentabilidade da assistência, em um cenário difícil para os planos de saúde de um modo geral: no Brasil, atualmente, quatro planos de saúde encerram, a cada mês, suas atividades por incapacidade de manter-se no mercado. Isso mostra a potência do nosso Planserv que em termos relativos é o maior plano público do país, e essa gestão do plano, que vem desde o governo de Jaques Wagner, tem buscado se modernizar cada vez mais”, declara o líder.

“Um novo site, com melhor visualização dos serviços oferecidos, e um novo aplicativo para smartphone são algumas das medidas inovadoras adotadas em 2018.  Uma Central de Relacionamento com atendimento 24 horas também foi criada para que o beneficiário seja acolhido a qualquer momento em que precisar.  Todas essas medidas de gestão visam fortalecer o plano, considerado um patrimônio e uma conquista do funcionalismo pelo Governo do Estado”, explica Zé Neto.

“Para a oposição não esquecer, no período deles só tínhamos um hospital de urgência e emergência, que era o Hospital Evangélico. O que o Governador Rui Costa, junto à diretora geral do Planserv, Cristina Cardoso tem feito é dar ao Planserv uma dinâmica que mantenha o plano preservado e atualizado com as técnicas modernas, mas com custo adequado, para que não haja exageros, como é no mercado.  Portanto, é um momento de diálogo, de compreensão e cumplicidade do Estado, do Planserv, dos usuários e dos prestadores.  Quanto à oposição, tragam coisas para colaborar, para dizer o que falta, vocês não têm expertise, nem histórico para tentar manchar a imagem desse plano tão importante para os servidores do Estado”, finaliza.

Sobre o PLANSERV

Sob gestão direta do Governo do Estado, desde 2001, através da Secretaria da Administração (Saeb), o Sistema de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos Estaduais (Planserv) foi reorganizado pela Lei nº 9.528, de 22 de junho de 2005, regulamentada pelo Decreto nº 9.552, de 21 de setembro de 2005.

O Planserv compreende o conjunto de serviços de saúde no âmbito da promoção, prevenção, assistência curativa e reabilitação, prestados diretamente pelo Estado ou através de instituições referenciadas, é um patrimônio do servidor, que contribui com 2/3 dos recursos do orçamento, enquanto 1/3 é patrocinado pelo Governo do Estado.

Embora a adesão ao Planserv seja facultativa, três em cada quatro servidores pagam parte do plano, formando com seus familiares, um grupo de cerca de 500 mil pessoas atendidas.

Sobre Carlos Augusto 9717 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).