Vereadora do PT é agredida durante ato pró-Lula em Salvador; homem que se identificou como policial aposentado agrediu militantes do Comitê Lula Livre

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Marta Rodrigues Sousa de Brito Costa, vereadora do PT é agredida durante ato pró-Lula em Salvador.
Marta Rodrigues Sousa de Brito Costa, vereadora do PT é agredida durante ato pró-Lula em Salvador.
Marta Rodrigues Sousa de Brito Costa, vereadora do PT é agredida durante ato pró-Lula em Salvador.
Marta Rodrigues Sousa de Brito Costa, vereadora do PT é agredida durante ato pró-Lula em Salvador.

A vereadora Marta Rodrigues do PT em Salvador (BA) e outros militantes do Comitê Lula Livre da capital baiana foram covardemente agredidos por um homem que se identificou como policial aposentado durante ato realizado no último sábado (02/06/2018). A parlamentar ainda recebeu ameaças de morte pelo mesmo indivíduo.

O episódio de ódio e intolerância aconteceu no bairro Imbuí, enquanto um grupo de petistas distribuía panfletos e adesivos em defesa da liberdade do presidente Lula, preso político desde 7 de abril em Curitiba.

Conforme relato da vereadora, o homem observava os manifestantes do outro lado da rua, em frente a um supermercado, quando foi cobrar que uma foto dele fosse apagada da câmera de um fotógrafo que fazia registros da manifestação.

Em seguida, ele pegou uma vassoura e passou a desferir golpes contra a militância, além de proferir discurso de ódio contra Lula e o PT.

O cabo da vassoura chegou a quebrar, e o agressor recorreu a caixotes de feira, além de socos, para continuar a agredir os manifestantes e também pessoas que passavam pelo local vestidas de vermelho, contou a vereadora.

As agressões foram cessadas somente após a chegada de uma viatura da polícia. O homem foi detido, e o caso foi levado à Central de Flagrantes, onde os militantes e o agressor prestaram depoimentos. Os envolvidos passaram ainda por exame de corpo de delito no Departamento de Polícia Técnica.

A vereadora lamentou o ocorrido e classificou o ato de ódio como um reflexo do rompimento democrático. “Não podemos nos calar diante de casos como esse, que evidenciam a cultura do ódio que estamos vivenciando no Brasil, motivada pela ignorância política e reforçada com o golpe que sofremos na democracia”, disse.

Ela ressaltou ainda que esse tipo de atitude não será capaz calar a voz dos que lutam por justiça.

“Este lamentável episódio nos indigna, mas nos fortalece e nos movimenta para continuarmos na luta por justiça social, por Lula Livre e por um governo popular e participativo. Os discursos de ódio e os ataques não nos calarão”, reforçou.

Em nota, o PT-BA e o PT de Salvador manifestaram solidariedade à vereadora e à militância petista.

O presidente do PT-BA, Everaldo Anunciação, afirmou que o partido não irá recuar diante das ameaças.”Marta é uma companheira combativa e junto com a militância petista merece respeito. O partido não irá recuar perante estas ameaças fascistas e irresponsáveis. Continuares juntos por Lula Livre e pela imediata recuperação do país”, escreveu.

Já o PT de Salvador acrescentou que não aceitará ameaças de violência em manifestações populares.”Não aceitaremos qualquer tentativa de criminalização da política, dos movimentos sociais e dos partidos políticos, nossa história é parte da construção da democracia brasileira e desse lado não sairemos”, diz trecho da nota.

*Com informações de Geisa Marques, da Comunicação Elas Por Elas.

Sobre Carlos Augusto 9652 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).