Precarização e violação de direitos trabalhistas são denunciados na operação da Zona Azul de Salvador

Valores cobrados para estacionamento de veículos na Zona Azul de Salvador.

Valores cobrados para estacionamento de veículos na Zona Azul de Salvador.

Relato de trabalhadores da Zona Azul de Salvador, ao Jornal Grande Bahia (JGB), realizados em maio de 2018, revelam precarização e violação de direitos trabalhistas na operação do serviço de controle de vagas de estacionamento em vias públicas da cidade de Salvador.

Conforme relatos colhidos pela equipe do JGB, os trabalhadores atuam sem carteira assinada, sem pausa regular e local adequado para realizar as necessidades fisiológicas, além disto, reclamam da falta de equipamentos para dias chuvosos.

Os trabalhadores revelaram, também, que recebem apenas uma comissão sobre o valor que faturam ao vender as cartelas de estacionamento aos motoristas e que, regularmente, uma equipe, ao longo do dia, faz a coleta dos valores recebidos.

Os relatos apresentam elementos que podem indicar precarização das relações trabalhistas com violação de direitos.

O modelo adotado pela gestão do prefeito ACM Neto (DEM) implica na cobrança mínima de R$ 3. Em alguns lugares os valores são fixos em R$ 6. Na relação estabelecida entre o operador da Zona Azul e o consumidor é entregue uma cartela com a marcação do horário de estacionamento e o número de horas em que expira o direito de uso da vaga para estacionamento do veículo.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]