Israel ataca posições do Irã na Síria e diz que país precisará de muitos meses para se recuperar

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Mísseis israelenses são vistos a partir da cidade de Damasco, na Síria.
Mísseis israelenses são vistos a partir da cidade de Damasco, na Síria.

O Irã precisará de “muitos meses” para se recuperar dos danos causados a suas forças na Síria pela Força Aérea de Israel, declarou Jonathan Conricus, porta-voz das Forças de Defesa de Israel (FDI).

Jonathan Conricus qualificou os ataques aéreos contra as posições do Irã na Síria como uma das maiores operações aéreas de Israel nos últimos anos e “sem dúvida a maior [operação] contra alvos iranianos”.

“Supomos que o Irã precisará de muito tempo para se recuperar, são muitos meses de trabalho ou até mais […] Foi uma operação de grande escala contra componentes importantes da presença iraniana [na Síria]: inteligência, logística, bases militares, armazéns, postos de observação e muitos outros”, informou o porta-voz.

Conricus relatou que, de acordo com os dados preliminares do exército israelense, todos os alvos atingidos foram eliminados e todos os aviões israelenses que participaram da operação voltaram a suas bases.

“Tentamos danificar menos as forças vivas e mais as armas e instalações, não tentamos maximizar as baixas entre os efetivos. A missão visou em primeiro lugar causar um dano a longo prazo ao potencial militar iraniano na Síria”, explicou.

Os militares israelenses afirmam que o ataque teve como alvos principais as instalações da força Quds, a unidade de forças especiais do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica que monitora as operações iranianas na Síria.

Anteriormente, os militares de Israel relataram que as forças iranianas tinham lançado cerca de 20 mísseis desde o território sírio contra as posições israelenses nas Colinas de Golã. Em resposta, a Força Aérea de Israel atacou instalações iranianas no território sírio.

Governo de Israel teria avisado Rússia antes dos ataques contra a Síria

O exército israelense informou os militares russos com antecedência sobre os ataques aéreos contra a Síria em represália ao ataque de mísseis por parte das forças iranianas posicionadas no território sírio, declarou o porta-voz do exército israelense, Jonathan Conricus.

Ele disse: “Os russos foram informados antes do início do ataque, usando o mecanismo que temos”.

Desde o outono de 2017, entre Israel e Rússia existe um mecanismo das comunicação que visa proteger os militares dos dois países de confrontos ocasionais e outros incidentes perigosos que possam surgir durante a realização das operações da Síria.

Um dos elemento-chave deste mecanismo é a linha telefônica direita entre o Centro de Comando em Tel Aviv e a base aérea russa de Hmeymim.

Na madrugada de 10 de maio, as forças antiaéreas sírias repeliram um ataque de Israel. Sobre as províncias de Al-Quneitra, a 40 quilômetros de Damasco, e Homs, foram derrubados dezenas de mísseis, a maioria dos quais não atingiu os alvos.

Este já é o segundo ataque israelense contra a Síria nesta semana. Na madrugada de quarta-feira (9), Israel bombardeou os arredores a sul de Damasco

Forças israelenses dizem não estarem interessadas em conflito com o Irã

Israel não está interessado em uma escalada do conflito com o Irão. Foi o que afirmou nesta quinta-feira, horário local, o porta-voz das Forças de Defesa de Israel, Jonathan Conricus.

“As IDF atingiram dezenas de alvos militares iranianos na Síria em resposta ao ataque de foguete iraniano contra Israel. As forças Quds estão por trás do ataque e pagam o preço inicial. As IDF continuam prontas para vários cenários, mas não procuram agravar a situação”, disse Conricus em nota.

Nesta madrugada, o exército israelense acusou as forças iranianas de disparar cerca de 20 mísseis contra as tropas de Israel a partir do território sírio, na região das colinas de Golã, ataque que foi prontamente revidado pelas Forças de Defesa de Israel.

Defesa russa: forças de Israel usaram 70 mísseis para atacar alvos iranianos na Síria

De acordo com o ministério russo, os principais alvos de ataque foram as unidades militares do Irã deslocadas na Síria e também os sistemas de defesa antiaérea sírios.

Recentemente foram lançados mais de 10 mísseis táticos do território de Israel contra posições iranianas na Síria, enquanto a Força Aérea de Israel realizou ataques contra vários alvos de sua instalação, comunica o Ministério da Defesa da Rússia.

“No ataque participaram 28 aviões israelenses F-15 e F-16, que dispararam cerca de 60 mísseis do tipo ar-terra contra vários bairros na Síria. Do território de Israel foram lançados mais de 10 mísseis táticos terra-terra”, confirma.

“Foram atacados os locais de deslocamento das unidades militares iranianas, bem como as posições dos sistemas de defesa antiaérea sírios na região de Damasco e no sul da Síria”, informa o comunicado.

“Ao tentar repelir o ataque israelense, os sistemas de defesa antiaérea da Síria derrubaram mais da metade dos mísseis”, ressalta.

Destaca-se que atualmente se realizam as estimativas dos danos provocados pelos ataques à infraestrutura militar e civil na Síria.

As recentes tensões na região levaram as Forças de Defesa de Israel a enviar veículos militares, tropas e interceptadores de mísseis para as Colinas de Golã no início do dia. Israel já estava em alerta desde que o país alegou detectar uma “atividade iraniana” incomum na Síria. Na terça-feira, depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, abandonou o acordo nuclear com o Irã, os ataques israelenses na Síria supostamente mataram oito cidadãos iranianos.

A mídia estatal síria informou que os sistemas de defesa aérea do país se engajaram em várias ondas de ataques com mísseis disparados por aviões de guerra israelenses, explicando que vários foguetes foram interceptados no país.

*Com informações da Agência Sputnik.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 113846 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]