Representantes da ARFOC repudiam ação violenta de agente da TRANSALVADOR contra membro da imprensa

Logomarca da Superintendência de Trânsito do Salvador (TRANSALVADOR).
Logomarca da Superintendência de Trânsito do Salvador (TRANSALVADOR).
Logomarca da Superintendência de Trânsito do Salvador (TRANSALVADOR).
Logomarca da Superintendência de Trânsito do Salvador (TRANSALVADOR).

Em nota, encaminhada nesta quinta-feira (26/04/2018) ao Jornal Grande Bahia (JGB), representantes da Associação Profissional dos Repórteres Fotográficos e Cinematográficos, em âmbito nacional e estadual, criticaram severamente a atuação truculenta do agente da Superintendência de Trânsito do Salvador (TRANSALVADOR) contra membro da imprensa, durante partida de futebol entre Vitória e Corinthians, ocorrida nesta quarta-feira (25), no Estádio Manoel Barradas (Barradão), em Salvador.

Confira íntegra da nota

O Presidente da Arfoc-Brasil, Luiz Hermano, juntamente com o Presidente da Arfoc-Bahia, Roque Leônidas, vem à público repudiar a atitude do agente da Transalvador durante o jogo entre Vitória e Corinthians, nesta quarta-feira (25/04/2018), no estádio Manoel Barradas (Barradão) onde agrediu o repórter fotográfico do Jornal Correio da Bahia, Beto Júnior.

Segundo testemunhas, o fotógrafo foi empurrado, caiu, e bateu a cabeça contra uma barra de proteção da própria transalvador. O profissional teve um edema na cabeça e apresentou uma suspeita de fratura no nariz. A vítima foi atendida pela equipe médica de plantão no Barradão, foi conduzida à delegacia do estádio e depois fez corpo de delito no Instituto Médico Legal.

Segundo o artigo 129 do código penal agressão é crime. Ofender a integridade corporal ou a saúde de outrem pode gerar detenção de três meses a um ano de detenção. Se resultar na incapacidade para ocupações habituais por trinta dias ou perigo a vida pode resultar numa pena de reclusão de 1 a 5 anos.

Agressões a profissionais de imprensa estão se tornando comuns, principalmente cometidos por agentes públicos em todo Brasil. Essa é uma discussão que vêm sendo levantada pelas entidades que representam os profissionais de imprensa.

É com esse objetivo que a Associação Bahiana de Imprensa convida todos os repórteres, cinegrafistas e fotógrafos para participar do debate sobre violência contra à imprensa que será realizado no dia 03, às 9h, na sede da ABI.

É com grito de revolta que a Arfoc- Brasil e Arfoc- Bahia pedem um posicionamento do Prefeito ACM Neto e da Superintendência da Transalvador. Agente de trânsito não tem autonomia para tratar com violência – antes de ser um profissional a serviço da informação – um cidadão.

Luiz Hermano, Presidente da ARFOC BRASIL

Roque Leônidas, Presidente da ARFOC BAHIA

Sobre Carlos Augusto 9462 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).