Para jornais estrangeiros, há um “golpe judicial” contra o ex-presidente Lula, as forças populares e o pensamento de esquerda

Para o La Jornada, do México, a condenação do ex-presidente Lula busca “impedi-lo de voltar a governar”. Outros veículos também repercutiram a decisão do STF.
Para o La Jornada, do México, a condenação do ex-presidente Lula busca “impedi-lo de voltar a governar”. Outros veículos também repercutiram a decisão do STF.
Para o La Jornada, do México, a condenação do ex-presidente Lula busca “impedi-lo de voltar a governar”. Outros veículos também repercutiram a decisão do STF.
Para o La Jornada, do México, a condenação do ex-presidente Lula busca “impedi-lo de voltar a governar”. Outros veículos também repercutiram a decisão do STF.

A decisão do Supremo Tribunal Federal contra o habeas corpus preventivo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva “conclui um quadro que começou a ser traçado exatamente na noite em que Dilma Rousseff derrotou Aécio Neves”, nas eleições de 2014, avalia o jornal La Jornada, do México. O “ golpe judicial” contra Lula, como caracterizou o argentino Página 12 , foi destaque nos principais veículos da imprensa mundial nesta quinta-feira (05/04/2018), horas após o encerramento da sessão do STF.

Para o La Jornada, principal jornal progressista do México, o plano concluído na madrugada desta quinta-feira passou pelas manobras do Congresso para inviabilizar o governo Dilma, o pelo processo de impeachment — levado a cabo com “a omissão do STF” —e a condenação de Lula, para “impedi-lo de voltar a governar”.

Para o diário argentino Página 12, a decisão do STF foi tomada “sob pressão dos militares”, referindo-se às ameaças iniciadas por um general de pijama, o reformado Luiz Gonzaga Schoreder Lessa, ecoadas pelo comandante do Exército, General Villas Boas, e ignoradas pelo “chefe nominal das Forças Armadas” o ocupante do Planalto Michel Temer. “Alguns juízes que falaram em off reconheceram que levaram em conta o aperto castrense”.

Carinho do povo

O britânico The Guardian destaca a “grande afeição” dedicada a Lula pelos brasileiros, apesar da condenação por corrupção. “Dezenas de milhões de beneficiados pelos programas de habitação, educação e apoio às famílias”. O jornal lembra que durante os mandatos do ex-presidente, a renda dos mais pobres foi ampliada acima das taxas de crescimento da economia em geral e “37 milhões de brasileiros se juntaram à classe média” e que Lula lidera as pesquisas de intenção de voto para a Presidência da República.

O francês Libération também registra o carinho que que os mais pobres – a maioria dos brasileiros — têm com Lula e ressalta o contraste dessa postura com o ódio que os endinheirados nutrem contra o ex-presidente. “Em São Paulo, onde os burgueses desafiavam a chuva para exigir a prisão ‘do maior bandido do Brasil”, a reportagem do jornal encontrou Leonardo, vendedor ambulante que trabalhava durante a manifestação, que declarou seu desejo de voltar a votar em Lula “port udo o que ele fez pelos pobres. Roubaram meu candidato”, resumiu o trabalhador.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Carlos Augusto 9605 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).