Número de homicídios na Bahia aumenta 145% em 10 anos, diz deputado Carlos Geilson

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Carlos Geilson dos Santos Silva.
Carlos Geilson dos Santos Silva.

O crescimento da violência e o avanço constante da criminalidade registrados na Bahia durante o governo do Partido dos Trabalhadores resultaram num aumento de 145% no número de homicídios ocorridos no Estado, num intervalo de 10 anos, apontou o deputado estadual Carlos Geilson (PSDB), em pronunciamento na Assembleia Legislativa, na tarde desta terça-feira (20/03/2018).

Segundo ele, em 2006, último ano do mandato do governador Paulo Souto, foram registrados 3.311 homicídios na Bahia. Em 2008, no segundo ano do governo Jaques Wagner, o número saltou para 4.819 homicídios, um aumento de mais de 45%. Já em 2016, foram 7.110 homicídios – um espantoso aumento de 145%, na comparação com o último ano do governo Paulo Souto.

“E todos sabemos que nesse balanço macabro, a maioria dos mortos é constituída de negros, pobres e moradores das periferias – exatamente aquelas pessoas que o PT diz defender”, lamentou o deputado.

Geilson destacou que em Salvador, os Correios foram obrigados a criar áreas de restrição na entrega de encomendas postais, por conta dos sucessivos assaltos aos carteiros. Essa restrição compreende hoje ruas dos bairros de São Caetano, Fazenda Grande do Retiro, Lobato, Alto do Cabrito e Marechal Rondon. Para receber suas encomendas postais, os moradores dessas áreas tem que procurar a Agência Central dos Correios, no Comércio, ou o Centro de Distribuição Domiciliária Pirajá, localizado na BR-324.

“Como é perigosa a vida fora da propaganda do governo. Como tem sido dura a vida dos pobres nesses anos de governo do PT”, alfinetou Geilson.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 113755 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]