Julgamento no STF do HC denegado ao ex-presidente Lula vira foco de debate da imprensa Latina

Ministra Cármen Lúcia usou poder de presidente do STF para influenciar julgamento do ex-presidente Lula.
Ministra Cármen Lúcia usou poder de presidente do STF para influenciar julgamento do ex-presidente Lula.
Ministra Cármen Lúcia usou poder de presidente do STF para influenciar julgamento do ex-presidente Lula.
Ministra Cármen Lúcia usou poder de presidente do STF para influenciar julgamento do ex-presidente Lula.

Os jornais argentinos colocaram na capa e com destaque de fotografias e detalhamentos o julgamento no Supremo Tribunal Federal do Brasil (STF) do habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A sessão foi acompanhada ao vivo pelos principais veículos da Argentina. De forma semelhante, reagiu a imprensa no Chile e no Peru, destacando o assunto nos jornais.

O conservador La Nación diz que a decisão do Supremo “sacudiu o tabuleiro do Brasil”. O jornal esquerdista Pagina 12 classificou de “golpe judicial” na manchete: “O Povo Brasileiro tem o direito de votar em Lula”.

Jornal de maior circulação na Argentina, o Clarín observa como “dramática definição” a decisão do STF e afirma que há uma “incerteza política” no vizinho e principal parceiro comercial da Argentina.

Na Argentina, os jornais especulam a possibilidade de que o presidente argentino Mauricio Macri poderia aproveitar a “debilidade brasileira” para assumir o papel de líder regional.

O ex-presidente do Chile Ricardo Lagos usou o Twitter para analisar a decisão do STF, que classificou como “má notícia para a democracia” da América Latina, segundo o jornal La Tercera. Reportagem do jornal El Mercurio informa que Lula “pode ir a prisão sob condenação por corrupção”.

No Peru, os jornais também destacaram a votação do STF. O El Comércio colocou na capa: “Rejeitam o habeas corpus de Lula e [ele] fica a um passo da cadeia”, enquanto o La República diz que o ex-presidente está “a caminho da cadeia por uma decisão do STF”.

O julgamento no Supremo ocorreu no momento em que a Operação Lava Jato também é desdobrada nos países vizinhos ao Brasil, Peru, Chile e Argentina. Júlio de Vido, ex-ministro do Planejamento, foi indiciado sob suspeita de ter sido favorecido com contratos de US$ 2,3 bilhões para a construção de gasodutos via Odebrecht.

No Peru, há três semanas, Pedro Pablo Kuczynski renunciou ao cargo de presidente do Peru, após 19 meses na função. A decisão foi tomada as vésperas da votação do impeachment (o segundo desde dezembro) por seu suposto envolvimento no escândalo da Odebrecht.

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 108688 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]