Estados Unidos encerram ataques após atingir instalações químicas da Síria

Com apoio de Reino Unido e França, forças americanas, sob as ordens do presidente Donald Trump, disparam, às 22 horas de 13 de abril de 2018 (sexta-feira), mais de cem mísseis, em ataque contra instalações do regime de Assad, na Síria, com a justificativa de uso de armas químicas. O Governo de Bashar al-Assad e aliados reagem com indignação.
Com apoio de Reino Unido e França, forças americanas, sob as ordens do presidente Donald Trump, disparam, às 22 horas de 13 de abril de 2018 (sexta-feira), mais de cem mísseis, em ataque contra instalações do regime de Assad, na Síria, com a justificativa de uso de armas químicas. O Governo de Bashar al-Assad e aliados reagem com indignação.
Com apoio de Reino Unido e França, forças americanas, sob as ordens do presidente Donald Trump, disparam, na madrugada de 14 de abril de 2018 (sábado), mais de cem mísseis, em ataque contra instalações do regime de Assad, na Síria, com a justificativa de uso de armas químicas. O Governo de Bashar al-Assad e aliados reagem com indignação.
Com apoio de Reino Unido e França, forças americanas, sob as ordens do presidente Donald Trump, disparam, às 22 horas de 13 de abril de 2018 (sexta-feira), mais de cem mísseis, em ataque contra instalações do regime de Assad, na Síria, com a justificativa de uso de armas químicas. O Governo de Bashar al-Assad e aliados reagem com indignação.

Os Estados Unidos encerraram os bombardeios aéreos lançados em conjunto com a França e Reino Unido sobre a Síria, na noite desta sexta-feira (13/04/2018), após atingirem os três alvos descritos como locais de “capacidades químicas”: um centro de pesquisa científica localizado na capital, Damasco; uma instalação de armazenamento de armas químicas, localizada a oeste de Homs; e ainda uma terceira próxima ao segundo alvo, que serviria – segundo o Pentágono – de armazém de equipamentos de armas químicas, além de um posto de comando.

Um avião prepara para levantar voo como parte do ataque aéreo conjunto dos Estados Unidos, França e Reino Unido na Síria. Cortesia Forças Armadas Francesas/Via Reuters. Reprodução proibida.
Avião prepara para levantar voo durante ataque aéreo conjunto dos Estados Unidos, França e Reino Unido na Síria.Cortesia Forças Armadas Francesas/Via Reuters. Reprodução proibida.

Os ataques foram detalhados pelo Departamento de Defesa norte-americano em uma coletiva na noite da sexta-feira (13). O general Josefh Dunford, presidente do Joint Chiefs – um comitê de assessoramento do Pentágono – disse que os Estados Unidos identificaram alvos sírios. Segundo ele, a “rodada de ataques aéreos já havia sido encerrada”.

Ataque conjunto dos EUA, França e Reino Unido na Síria já está em andamento
“Os alvos que foram atingidos e destruídos estavam especificamente associados ao programa de armas químicas do regime sírio. Também selecionamos alvos que minimizariam o risco para civis inocentes”, disse o general, durante a entrevista.

Também foi evitado o choque direto com a Rússia. “Identificamos especificamente alvos russos sírios, para mitigar o risco de envolvimento das forças russas”, afirmou Dunford. Além disso, ele afirmou que a linha direta com a Rússia foi usada no período que antecedeu os bombardeios, para liberação do espaço aéreo. “Nós usamos o canal de desconexão normal para desconstruir o espaço aéreo. Não coordenamos metas”, explicou.

Menos duas horas antes, o presidente Donald Trump tinha anunciado que os bombardeios haviam começado. Os bombardeios, segundo o Pentágono já foram finalizados e são a resposta prometida pelos Estados Unidos ao suposto ataque químico atribuído ao governo de Bashar Al Assad, à cidade de Duma há sete dias.

O secretário de Defesa, James Mattis, também participou da coletiva. Ele disse que até aquele momento não havia “relatos de perdas para o exército americano”. O Pentágono ainda não comentou as declarações da TV síria, de que pelo menos 13 misseis teriam sido interceptados em Homs, o que teria segundo a estatal de televisão, frustrado o ataque.

Mattis não deu declarações sobre resultados, mas ponderou que, embora o ataque aos três locais tenha sido finalizado, isso não quer dizer que não haverá outros. “O objetivo é realizar uma campanha sustentada para que armas químicas deixem de ser usadas na Síria”, disse.

Os ataques foram realizados por volta das 22 horas desta sexta-feira (horário de Brasília).

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 109790 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]