Salvador: Vivadança Festival Internacional dilui fronteiras entre as artes em sua identidade visual

Arte de Vânia Medeiros no Vivadança Festival Internacional.
Arte de Vânia Medeiros no Vivadança Festival Internacional.
Arte de Vânia Medeiros no Vivadança Festival Internacional.
Arte de Vânia Medeiros no Vivadança Festival Internacional.

Depois de Andrea May, Rebeca Matta e Lia Cunha, este ano quem imprime sua arte na marca do festival é Vânia Medeiros (mestre em Arquitetura pela USP), que desenvolve uma pesquisa sobre cartografia e as representações da arquitetura e do espaço urbano na arte e em processos de criação, em colaboração com o público. Seu trabalho se materializa em diversos formatos, especialmente em livros, instalações e intervenções urbanas que ganham o mundo em residências, exposições, festivais e projetos realizados no Brasil, Equador, Alemanha, Argentina, entre outros países.

“Minha concepção para a criação do discurso visual do Vivadança este ano partiu da ideia de tentar representar a dança como cartografia através de uma pintura que começa no corpo das bailarinas e se desdobra em intervenções digitais. O gesto ecoa e cria linhas de força que vão além, tomam o espaço e o transformam. A interação entre as artes visuais e a dança tem uma potência política muito grande, porque foge à fragmentação funcionalista das artes, que é artificial e limitadora. Os discursos têm muito a se fortalecer quando derrubam-se barreiras entre linguagens”, define Vânia Medeiros.

Nesse processo de criação coletiva, no qual se dá o diálogo com a fotografia de João Milet Meirelles e as intervenções do designer Pedro Gaudenz, convergem harmoniosamente a performance de Clara Boa Sorte e Carolina Miranda o discurso poético, político e imagético da diversidade feminina – forte, sensível, atuante, transformadora…

“Compartilhar e dar visibilidade aos trabalhos femininos através de uma artista que dilui fronteiras e reafirma a nossa identidade brasileira e latina é de suma importância nesse momento politico que vivemos. Especialmente nessa edição, teremos, como ação inédita, o lançamento de uma mostra com artistas iberoamericanos, o trabalho de Vânia soma de forma preciosa às nossas expectativas”, observa a curadora, diretora e coreógrafa Cristina Castro.

O Vivadança Festival Internacional tem apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia. É uma realização da Baobá Produções Artísticas.

Sobre Vãnia Medeiros  

Foi criada em Salvador, mas atualmente reside em São Paulo. Investiga o desenho como forma de expressão em diversos suportes e formatos. Seu trabalho realiza-se através de ações/performances e processos colaborativos, ganhando materialidade na forma de livros, exposições, instalações e intervenções urbanas.

Artista visual e educadora. Mestre pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP) com o trabalho ‘Cidade Passo – Conversações entre arte, design e etnografia’, desenvolvido com apoio da FAPESP (2017). Pós-graduada em Linguagens Artísticas Combinadas pelo Instituto Universitário Nacional del Arte (IUNA), em Buenos Aires, Argentina (2008). Graduada em Comunicação Social pela UFBA (2007).  Sua pesquisa artística está ligada à cartografia e às representações da arquitetura e do espaço urbano na arte, bem como em processos de criação em colaboração com o público.

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 108726 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]